Realidade Virtual vs Aumentada – Qual será que é melhor?

Embora pertençam a um similar ramo da tecnologia (imersiva), Realidade Aumentada (RA) e Realidade Virtual (VR) não são a mesma coisa. É habitual elas serem tratadas como sinônimos, no entanto, cada uma tem individualidades e são precisamente estas suas peculiaridades específicas que vamos ver nesse artigo de forma a não permitir mais qualquer incerteza referente ao tema.

A proposta de combinar universo virtual com o universo real e proporcionar maior relação entre o ser humano e a máquina é a mesma. O que muda é de que jeito isto acontece. De um lado o cliente é capaz de sentir como se se encontrasse num outro lugar, vivendo e executando ações que não existem. Como se se encontrasse na Matrix, mas sem as ameaças que acontecem no filme. De outro, somos capazes de divertir-se e relacionar-se com imagens gráficas colocadas em nossos ambientes, tendo a impressão de que elas realmente fazem parte deles.

Realidade Virtual

O excepcional quesito do VR é a elaboração desta prova imersiva. É fazê-lo sentir estar em outro lugar ou vivenciando coisas que, de fato, não existem. Por exemplo, você consegue se transferir para dentro de uma retratação virtual do museu do Louvre, em Paris. A Realidade Virtual substitui inteiramente a perspectiva do realidade pela visão imersiva em um ambiente virtual e esse estímulo é totalmente aumentado na ocasião em que misturadas visão e audição (utilização dos óculos combinado com o emprego dos fones de ouvido ). realidade-virtual

Como opera?

No caso da Realidade Virtual , a fim de que o utilizador consiga entrar em um universo virtual, de início são necessários aparelhos de VR. Eles estão organizados em 3 componentes principais: um Computador, um console ou um smartphone eficiente para executar o software, um equipamento de visualização que ficará preso na frente dos olhos ( é comum também utilizar fones de ouvido de maneira a reprimir que se tenha qualquer impulso externo) e certo tipo de dispositivo de controle. Esses componentes atuam em conjunto a fim de gerar frontal aos olhos do utilizador um novo ambiente. Essa ação pode iludir os sentidos de qualquer pessoa, de forma que a mente acredita que aquela coisa na realidade é real.

O item básico de todos os recursos de Realidade Virtual está na visão estereoscópica, que é a captação e sobreposição de duas imagens 2D suavemente diferenciadas, que a nossa mente acaba por considerar com uma 3D, com o intuito de se assemelhar com a maneira que os nossos olhos olham o universo. Esse papel pode ser cumprido por um visor LCD com duas fontes de imagem ou por 2 visores LCD (um por olho), com uma quantidade de quadros de ao menos 60 fps.

Mais um fator considerável para a realidade virtual é o deslocamento. Com o dispositivo preso na cabeça, não importa para que lugar a pessoa olhe, a visão gerada vai te acompanhar. Isto é possível porque os dispositivos de Realidade Virtual são equipados com mecanismos conhecidos como IMU (unidade de medição inercial). As IMUs são estruturadas em 3 componentes fundamentais: um acelerômetro, um giroscópio e um magnetômetro, incumbido por oferecer a orientação do aparelho em relação à Terra, como se fosse uma bússola tridimensional.

Certos equipamentos de Realidade Virtual que visam melhorar o rastreamento posicional e de deslocamento, além das informações dadas pela IMU, contam com câmeras de rastreamento. Estes dispositivos localizam marcadores situados nos utensílios e, através do uso de luz infravermelha ou refletores, são capazes de definir com precisão a localização do aparelho de VR no lugar.
Os controles são inclusive componentes importantes para uma experiência total com a Realidade Virtual. Esses dispositivos permitem que, quando manipulados, o usuário relacione-se com o mundo virtual. Quanto mais próximo das rotinas reais eles se aproximarem, melhor será a experiência.

Suas Aplicabilidades

Aumento da afinidade

A realidade virtual possibilita que você tenha uma experiência de ficar provisoriamente às cegas. O software “Notes on blindness”, acessível para Gear VR, mostra como é o processo gradual de redução de visão.

Bailenson fala que, em suas pesquisas em Stanford, demonstrações como essa se revelaram eficientes para ativar um maior sentimento de empatia por deficientes visuais. Quem assistiu ao conteúdo em realidade virtual passou duas vezes mais tempo auxiliando pessoas com esta condição do que aquelas que não possuíram esta experiência digital. Bailenson diz ainda que a tecnologia também auxiliou a reduzir o preconceito.

Educação

Para a educação, a realidade virtual tem aplicações mais visíveis. Para aulas de biologia ou em institutos de áreas médicas, a tecnologia possibilita tornar menos genéricos concepções sobre vírus, células ou bactérias. “Estudantes serão capazes de olhar as organelas celulares diante de seus olhos”, afirmou Bailenson.

Em território brasileiro, a “Positivo Informática” possui o planejamento denominado Na Real, que leva às escolas vídeos em 360 graus com relação a temas como os cuidados da dengue, a fim de inteirar os alunos do assunto com segurança.

Tratamento de fobias

Programas como o Face your fears, disponível para Gear VR, possibilitam que as pessoas confrontem seus maiores horrores. Com ajuda especializada, Bailenson diz que é possível superar fobias comuns, como andar de avião ou medo de bichos.

Treino de atletas Strivr

O Strivr Labs possui um software, atualmente, usado por atletas do futebol americano, hockey e beisebol a fim de treinar jogadas ensaiadas fazendo repetições mentais dos movimentos.

Tratamento de dor

Empresas como a DeepStream VR e a Firsthand em conjunto com a Universidade de Washington já possuem soluções a fim de amenizar a dor de pacientes em hospitais. Jogos em realidade virtual têm possibilidade de remover o foco do que está ocorrendo nos corpos dos pacientes, como a substituição de um curativo sedoso. “A realidade virtual distrai tanto o cérebro que as pessoas não pensam mais na dor”, segundo Bailenson, que avalia uma diminuição de até setenta por cento da impressão dolorosa.

Curiosidades

Óculos de realidade virtual ajudam pessoas com Parkinson a caminhar

realidade-virtual-auxilia-pessoas-com-parkinson No Hospital das Clínicas de São Paulo (HC-FMUSP), um agrupamento de pacientes com mal de Parkinson conseguiu avanços para voltar a andar com agilidade e segurança em função do uso de óculos de realidade virtual em consultas de fisioterapia. O paciente Pietro Azzolini, de 68 anos, já não se desequilibra ao caminhar em uma via pública. Ele foi identificado com a enfermidade há doze anos. “ Após o tratamento, senti mais estabilidade e mais segurança para andar ”, reitera. “O Parkinson, geralmente, não tem cura, contudo este tipo de equipamento, que bastante gente nem tem noção que existe, pode melhorar bastante o desempenho das pessoas. ”

Conforme a fisioterapeuta Carolina Souza, do Instituto de Psiquiatria do HC-FMUSP, os óculos são particularmente eficazes para tratar um sintoma normal em pacientes com Parkinson em nível 3 (ao todo, a disfunção tem 5 estágios ): o “freezing”, ou “congelamento”. O congelamento ocorre no momento em que o paciente começa a caminhar com passos cada vez menores até parar ou despencar. Isso costumeiramente acontece logo no momento em que ele passa a andar, quando está ante um obstáculo ou quando necessita de mudar de direção.

Carolina notícia que, num grupo de dezoito pacientes graves, com enfermidade em estágio três ou quatro, que começaram a treinar com os óculos na instituição, todos sentiram uma evolução da marcha e uma diminuição das manifestações de “freezing”.

No momento em que está usando os óculos, o paciente enxerga um trajeto quadriculado em três dimensões. Um sensor de deslocamento detecta a ocasião em que o paciente passa a caminhar e o caminho quadriculado se movimenta como uma esteira. A pessoa também ouve sons que colaboram a ritmar os passos. Ao regularizar os passos com o quadriculado virtual, o paciente consegue mais equilíbrio. A fisioterapeuta esclarece que o Parkinson atinge a área cerebral incumbido pelos movimentos automáticos, como o caminhar. O que os óculos fazem é instigar que ele adote um caminho cerebral alternativo, mais consciente, para andar.

Realidade Virtual auxilia crianças na sala de aula

realidade-virtual-nas-escolas Pela primeira vez, crianças de escolas públicas estaduais na cidade de São Paulo experimentam o aplicativo de realidade virtual que a partir deste ano será usado em aulas de ciências, geografia e história. Estamos falando do Google Expeditions. Este é o nome do programa que conduz o observador para o fundo do oceano ou para qualquer outro local do mundo – e fora dele. No interior dos óculos de papel, há um celular com o aplicativo de realidade virtual. Para qualquer lugar que a criança vire a cabeça, a cena a sua frente se mexe.

As crianças não mergulham sem um trajeto pré-definido. O educador estabelece o ambiente que os alunos devem visitar. Ao utilizar um tablet, ele coordena uma seta discreta na paisagem que dirige o olhar de cada aluno para os detalhes que ele deseja mostrar. Na tela do educador, há fichas com informações acerca do que a criança enxerga.

Educação é um dos essenciais horizontes da realidade virtual. A imersão que situações virtuais acarretam é capaz de retratar vivências e facilitar o entendimento – e a absorção – de conceitos de forma extremamente mais eficaz do que a teoria somente. O mundo acadêmico sabe disto.

Realidade Aumentada

realidade-aumentada Ele trabalha a definição de realidade no seu estado mais perfeito, ou seja, traz ao nosso universo elementos que não são reais. Pela lente dos óculos, você irá ver projeções de objetos, planilhas e uma infinidade de outros itens com os quais pode-se interagir de diferentes maneiras. Por exemplo, caso você esteja percorrendo o Louvre na realidade, com a AR poderia visualizar, diante os seus olhos, um mapa para ir até a Mona Lisa.
Em outras palavras, a Realidade Aumentada nos oferece a capacidade de relacionar-se com utensílios gráficos aplicados em nosso campo de visão. Estes componentes digitais passam a regular nossa visão (real + virtual), ocasionando a sensação de que estes objetos (componentes ou até seres digitais) pareçam fazer parte do ambiente.

Como opera?

Ela funciona da seguinte forma: é necessária uma webcam ou outro dispositivo que permita a interpretação e elaboração de um item virtual. Por meio da câmera, será transmitida a imagem que será mesclada com a animação. A partir daí entra em ação o programa ou app inteligente capaz de entender o sinal transmitido pela câmera. A fotografia capturada será projetada com uma imagem em 3D antecipadamente inserida no software responsável pela renderização das ilustrações. Em função do fato de a câmera estar capturando as imagens em tempo real e mesclando-as com animações, esta junção gera o efeito de realidade aumentada .

Suas Funcionalidades

Medicina

A realidade aumentada tem sido fundamental para muitos avanços na medicina. Através dela, se pode projetar modelos do corpo humano, tal como seus órgãos e sistemas para estudos mais detalhados. Pode ser usada, ainda, no decorrer dos procedimentos cirúrgicos, ajudando a equipe médica a atuar com mais segurança e sucesso, minimizando, portanto, chances de complicações.

Marketing

Bastante utilizada por anunciantes a fim de produzir imagens mais realísticas em três dimensões, a utilização da realidade aumentada no marketing pode trazer maior confiabilidade ao produto. A apresentação por meio de tamanho, formas, materiais e usos irá possibilitar ao freguês uma compreensão aproximada do produto real, aumentando seu interesse em obtê-lo. Ela está vigente em vários anúncios da indústria automotiva, por exemplo.

Campo educacional

No campo educacional a realidade aumentada é utilizada para estimular e motivar estudantes, permitindo visualizações de objetos que acham-se distantes. Permite refazer experimentos de maneira atemporal e além da sala de aula tradicional. A relação proporcionada por meio da realidade aumentada concede chance para que estudantes de múltiplas culturas e línguas cruzem informações e conteúdos, expandindo seus aprendizados. A realidade aumentada na educação é capaz de ser usada de forma criativa, propiciando inclusive a criatividade, sendo bem assertiva para o crescimento de alunos e professores.

Jogos

Nessa área, a realidade aumentada vem sendo muito trabalhada. Jogos virtuais os quais misturam a realidade virtual com a realidade normal são habituais no mercado, viralizando por várias partes do mundo. Um ótimo exemplo de realidade aumentada em jogos é o Pokémon GO, ocasionando uma febre entre crianças e jovens que no mundo real saíram procurando seus bichinhos virtuais mediante seus celulares.

Cultura

A realidade aumentada aqui tem como intenção aumentar a conexão entre o utilizador e a cultura, quando podemos acessar informações sobre obras e seus autores, além da chance de inserção nos contextos históricos, enriquecendo muito a experiência. Um bom exemplo dessa interatividade possível é enxergada na Alemanha. O país desenvolveu e disponibilizou um software que possibilita viajar no tempo e ver novamente cenas históricas por intermédio de aplicação de realidade aumentada. O Centro de Documentação do Muro de Berlim abrange 200 metros do muro, onde um sistema de geolocalização se liga a um mapa que traça onze pontos, propiciando aos visitantes o uso desta tecnologia para adquirir uma interação mais completa e expressiva, acrescentando conteúdos reais e históricos a partir do app.

Curiosidades

Jogo do Harry Potter em Realidade Aumentada

jogo-harry-potter-realidade-aumentada O sucesso estrondoso de Pokémon GO é um exemplo do enorme potencial deste recurso: o jogo bilionário produzido pela Niantic bateu inúmeros recordes desde o seu lançamento, em julho do ano de 2016.

Servindo-se dessa mania, a Niantic está desenvolvendo um jogo mobile de realidade aumentada de outra franquia bastante popular: Harry Potter. O bruxo elaborado pela escritora britânica J. K. Rowling e que ganhou oito filmes entre os anos de 2001 e 2011 será a excepcional celebridade de Harry Potter: Wizards Unite.

Criado em parceria com a Warner Bros. Interactive e com o estúdio Portkey Games, pertencente à Warner, o jogo ainda não teve detalhes revelados, no entanto tem seu lançamento esperado para o ano de 2018. Obviamente, entretanto, que o objetivo do jogo é trazer o universo de Harry Potter para o “mundo real” devido à realidade aumentada.

Capacete de bombeiro usa realidade aumentada para salvar vidas

bombeiros-realidade-aumentada Bombeiros são heróis de verdade, que têm que ser ligeiros como o Flash e fortes como o Superman a fim de combater o vilão fogo. Na ocasião em que o alarme soa no quartel, eles possuem pouco mais de sessenta segundos para ficarem preparados e, dentro do lugar que está em chamas, não têm mais do que 6 minutos para adentrar, salvar as vítimas e sair.

O problema é que os dispositivos empregados nos dias atuais em missões de resgate inclusive são bem arcaicos e entrar em um prédio que encontra-se pegando fogo não é tarefa fácil. Por que, então, não utilizar os proveitos da realidade aumentada para ajudar o trabalho dos bombeiros? O designer Omer Haciomeroglu produziu o C-Thru, um capacete tecnológico que possui 4 ferramentas essenciais para auxiliar na hora do resgate:

  1. O visor possui um sensor termal que exibe as áreas de calor do ambiente em tempo real;
  2. Por ser difícil ver pela fumaça espessa, outro sensor consegue definir o formato do lugar e da mobília, possibilitando a movimentação do bombeiro;
  3. O capacete traz um recurso essencial de cancelamento de ruído seletivo, que ao passo que bloqueia o barulho das chamas, enfatiza gritos de socorro e barulhos que apontem paredes ou tetos que possuam sido danificados.
  4. O recurso anterior possibilita ainda a existência de um dispositivo de comunicação facilitada entre os bombeiros da equipe.

O C-Thru ainda está em fase de testes e é usado no departamento de bombeiros da cidade de Umea, na Suécia. Quem sabe essa tecnologia possa facilitar o trabalho destes bravos profissionais e ajudar a salvar ainda mais vidas…

Aplicativo possibilita ver estrelas e constelações de qualquer local do mundo

realidade-aumentada-estrelas-e-constelações Caso você faça o tipo aficionado por astronomia, então decerto já se pegou observando o céu e tentando decifrar qual constelação era aquela na sua frente ou também buscando informações com relação a uma determinada estrela. Agora, um aplicativo promete desvendar estes pequenos enigmas e, ainda, possibilita que você veja as estrelas do céu mesmo que seja em dias nublados.

O Star Walk utiliza a tecnologia de realidade aumentada a fim de exibir a posição exata das estrelas no céu, mesmo no momento em que elas não acham-se visíveis. Basta mirar o seu tablet ou celular para um ponto no céu e o programa mostrará todas as estrelas, constelações e satélites naquela região em tempo real, agindo como um atlas estelar.

Ainda por cima, a incumbência Time Machine permite enxergar a configuração das estrelas no céu tanto no passado quanto no futuro. O aplicativo ainda vem com um modo noturno, que protege a visão à medida que você nota as estrelas, bem como um sistema de buscas que ajuda a encontrar a localização de qualquer corpo celeste com poucos cliques.

Quem não estiver decidido a investir em um software do gênero, poderá preferir pelo gratuito Star Chart/Carta Celeste. Ainda disponível para Android e iOS, o software possui utilidades bastante iguais ao Star Walk e usa bússola, GPS, o acelerômetro e o giroscópio do aparelho para calcular a localização de todos os planetas e estrelas visíveis em tempo real, revelando onde elas estão no céu. Ao todo, o software já mapeou mais de cento e vinte mil estrelas, tal como todas as 88 constelações.

Celular Hackeado – Previna-se

Os recursos de comunicação estão cada vez mais aprimorados. Hoje, nos comunicamos por intermédio de muitos programas que nos acarretam este contato mais próximo, seja com nossa família, colegas ou no ambiente de trabalho. No entanto, faz-se preciso precavermos acerca dos Smartphones. Você tinha ideia que um celular hackeado pode causar inúmeros problemas para o seu cotidiano, não?

Nesse artigo a gente vai mostrar determinados cuidados que são essenciais a fim de que você não sofra deste infortúnio. Visto que, se seu celular for clonado, corre o perigo de você ter suas chaves eletrônicas descobertas, conversas “vazadas”, extravios de documentos relevantes, entre outros.

Não desperdice mais tempo e veja agora mesmo como proceder para evitar esse problema, tal como descobrir se seu iPhone já se encontra clonado. Preparado?

5 indícios que indicam que você conta com um celular hackeado

Problemas de carga

Antes da notoriedade do iOS e do Android, problemas de carga eram um vestígio infalível de um celular hackeado . E baterias bem quentes seguem sendo uma preocupação no momento em que nos referimos aos Celulares.

Se você estiver utilizando 100% do seu telefone celular, usando inúmeros aplicativos, então provavelmente está acostumado com uma bateria sobreaquecida. Você é capaz de até mesmo ter conduzido o telefone na loja e perguntado acerca disto, somente para ter certeza de que isto é normal em Celulares.

No entanto, também pode ser um indício de que algum aplicativo está operando em segundo plano, permitindo que algum indivíduo o espione. Compreenda que antigos dispositivos não detêm uma energia excelente, então retire qualquer hipótese a fim de compreender o que está acarretando isso.

Acréscimo da utilização de dados

Você tem que prestar bastante atenção nas suas contas de telefone. Com isso, você é capaz de poupar muito dinheiro, visto que você vai poder ver se alguém está efetuando ligações sem você saber. Assim como um jeito de descobrir vírus.

Entendemos que diversos aplicativos usam muitos dados, mas é bem fácil reduzir o uso de dados do seu aparelho. Isto vai auxiliar particularmente quando estiver entrando em uma rede de Wireless. Mas, apps maliciosos utilizam o seu pacote de dados para enviar informações a respeito de você para uma fonte externa.

A menos que você baixou atualmente um app que requer muita carga e dados, entenderá quantos dados você usa por mês. Se isto ampliar radicalmente, precisa descobrir por qual razão está acontecendo. Se não consegue encontrar o porquê, talvez um 3º esteja interceptando suas informações .

Softwares e propagandas indesejadas

Estamos tão acostumados com a interface do nosso telefone que é fácil não se lembrar que você baixou um software. É capaz de ficar lá despercebido por alguns ótimos meses ou até você redescobri-lo. Porém, é fundamental conhecer exatamente o que se encontra no seu telefone, notadamente aqueles programas que são operados em segundo plano.

Um destes é o Hummer, um cavalo de Troia que afetou aparelhos Android em todo o planeta na ocasião em que despontou no ano de 2014. Com altas concentrações de celulares hackeados em lugares como Índia e Filipinas, tornou-se o vírus de Android mais habitual internacionalmente.

Com uma média cotidiana de 1,2 milhões de dispositivos afetados, o Hummer pode gerar um tráfego imenso de spans, devido a isso, no momento em que perceber um acréscimo na utilização de dados, procure orientação técnica, visto que este vírus também está sendo espalhado em todo o planeta.

Problemas de desempenho

O Hummingbad, um cavalo de Troia similar ao Hummer, já afetou aproximadamente 10 milhões de vítimas. Tal como ocorre com o Hummer, ele encontra seu acesso num aparelho no momento em que o utilizador baixa acidentalmente um software que está simulando ser outro programa – uma variante adulterada do YouTube ou WhatsApp, por exemplo.

Bandidos virtuais estão fazendo 300 mil dólares mensalmente, executando tais softwares e gerando anúncios pop-up. O vírus inclusive é capaz de ter acesso aos seus dados e, então, expõe descrições para um servidor controlado pelo Yingmob, um grupo de hackers da China. Isto quer dizer que eles podem captar a maior parte das suas mensagens.

Todos esses dados que encontram-se sendo transmitidos e recebidos diminuem imensamente o desempenho do seu telefone. E isso não se aplica só ao Hummingbad – você notaria complicações de comportamento deste tipo com qualquer outro software maléfico.

Mensagens incomuns

O que é capaz de aparentar somente um desconforto, spam ou uma numeração errada pode, na realidade, ser um alerta de que algo não está certo com seu Smartphone.

Mensagens de SMS suspeitas contêm uma série aleatória de algarismos, letras e símbolos, o que pode aparentar, inicialmente, só estranho, porém não necessariamente malicioso.

O motivo mais provável disto é uma falha no spyware usado pelos criminosos virtuais. Se ele não é instalado acertadamente, essa mensagem surge em sua caixa de entrada, quando era para ter passado despercebida.

Da mesma forma, se seus amigos ou familiares avisarem que você está lhes encaminhando textos estranhos ou e-mails, isto é um indício de que você está com o celular hackeado.

Celular Hackeado: Conheça o que Fazer

celular-hackeado Você sabia que você é capaz de ter o celular hackeado e que as chances de isso ocorrer são bastante maiores do que você imagina? Conforme a Nokia, a quantidade de dispositivos infectados por vírus e malwares não para de aumentar, tendo atingido os níveis mais altos possíveis no último ano.

A maioria dos equipamentos envolvidos é Android, mas proprietários de iPhones ainda não estão a salvo. O pior de tudo é que diversas vezes o utilizador nem mesmo sabe que conta com um celular hackeado. Dessa maneira, identificar que o seu aparelho foi hackeado é tão importante quanto conhecer como se resguardar.

Neste artigo, abordamos uma sucessão de orientações práticas para que você seja capaz de saber como este empecilho pode se tornar uma ameaça significativa, afetando as suas informações pessoais e podendo representar ainda mesmo a perda completa do seu telefone celular.

Diminuição da capacidade da Bateria

bateria-fraca Um dos primeiros sintomas que um celular hackeado manifesta é o de uma duração de bateria muito curta. Isto ocorre porque, nessa situação, pode haver um ou mais apps rodando em segundo plano, consumindo toda a energia do seu aparelho. Quanto mais softwares maliciosos houverem, maior será o gasto.

Se, na realidade, possuir um celular hackeado, procure desabilitar o uso de dados em segundo plano, desinstalando aplicativos só para checagem. Por fim, faça um backup e restaure as opções de fábrica caso o problema continue.

Dados sumindo sem interrupção

Da mesma maneira que softwares maléficos absorvem a energia da bateria do telefone celular em segundo plano, há Malwares e vírus que usam o seu plano de dados para acessar certos conteúdos ou propagar informações dos mais diversificados tipos na rede.

A fim de conseguir esta conexão, aproveitam-se não apenas no momento em que você está logado em uma rede Wireless, porém de outras conexões 3G e 4G. Deste modo, a principal maneira de entender como está o seu gasto de dados é baixando o app oficial da operadora. Caso o consumo esteja demasiadamente alto de um dia para o outro, suspeite.

Outra forma eficaz de aliviar o inconveniente é desativar o uso da rede de dados quando você não estiver empregando. No entanto, caso isso não resolva o problema, novamente, a melhor opção é recuperar as configurações de fábrica.

Demonstração de propagandas

Vários aplicativos que você baixa na Play Store contêm anúncios. É a apresentação delas que permite que o desenvolvedor seja remunerado, particularmente em softwares de graça. Entretanto, algumas pessoas mal-intencionadas vão além e introduzem spywares no seu aparelho para que publicidades aleatórias sejam mostradas em vários lugares.

Fora delas deixarem o seu celular mais lento, uma vez que é preciso carregar mais itens antes de executar uma certa tarefa, as publicidades indesejadas gastam inclusive o seu plano de dados. Enquanto isso, a pessoa mal-intencionada, o qual conseguiu colocá-las dentro do seu telefone, ganha alguma verba quando uma propaganda aparece.

Uma excelente dica a fim de espantar este empecilho definitivamente é baixar um software antispyware e executá-lo. A maioria dos softwares disponíveis atualmente são capazes de identificar as grandes ameaças, removendo-as diretamente ou apontando para você em que lugar elas estão.

Emissão e recebimento de SMS suspeito

Se os seus amigos estão reclamando que você está emitindo mensagens de texto estranhas para eles ou se você está recebendo informações esquisitas por meio de mensagens, esse é um grande indício de alerta. Isto significa que você encontra-se com um celular hackeado.

Além do mais, há programas feitos a fim de examinar essa fragilidade nos aparelhos, acessando a sua lista de contatos e enviando links que direcionam para páginas maliciosas. Softwares antispyware tem o costume de dar conta do recado e detectar a fonte da vulnerabilidade, no entanto é indispensável que ele esteja instalado e funcionando também.

Obtenha aplicativos confiáveis

No momento em que um software é colocado na loja oficial, primeiro ele passa por uma verificação por parte da Google ou da Apple. Isso reduz significativamente as chances de que ele esteja infectado com itens maliciosos. Entretanto, quando você instala apps duvidosos, você está dando brechas para possuir um celular hackeado.

Um celular hackeado pode gerar tantas dores de cabeça quanto um telefone furtado. A diferença é que na hipótese de furto há como se defender se você tem um seguro para celular. Você pode até passar por uma circunstância constrangedora, porém no fim é capaz de readquirir a grana investida.

Já na hipótese de um celular hackeado, suas perdas podem se tornar irreversíveis. Descrições financeiras roubadas, dados de celular usados e que não serão repostos, além da possível perda de dados primordiais.

Por essa razão, a recomendação determinante é que, além de ter sempre instalado e operante um programa antivírus, antimalware e antispyware, o melhor é que você possua inclusive um desempenho seguro. Prevenir é a saída!

Proteja seu Smartphone – Entenda como

Existem diversos perigos para a segurança dos seus aparelhos. É por causa disso que você precisa tomar medidas rápidas para travar o seu aparelho ou tablet. Iremos olhar para as configurações que você necessita mudar e os aplicativos que você necessita instalar no seu equipamento Android, Apple ou Windows a fim de manter hackers distantes.

Defina um código PIN ou senha

Você tem necessidade de usar a tela de bloqueio que requer uma senha para continuar, com uma boa senha. Esse código deve ser uma coisa que não é fácil de adivinhar. Algo como 1-2-3-4 ou 0-0-0-0 não vai dar certo.

Dispositivos da Apple fazem você configurar uma senha para a tela de bloqueio da primeira vez que você usá-los. Contudo, caso você tenha criado a senha há certo tempo, talvez seja hora de mudá-la. Vá em Configurações; Código de acesso, e edite o seu código de acesso.

Para Android, vá para Configuraçõest; Tela de bloqueio para criar um critério em desenho, PIN ou senha. Você pode testar todos os três e ver qual deles oferece o melhor equilíbrio entre proteção e comodidade. Determinados aparelhos Android integram o reconhecimento da face e desbloqueio por voz, porém não são tão protegidos.

Para telefones com Windows, se encaminhe para a tela “Iniciar” e toque em Configurações; Tela de bloqueio para configurar o código de acesso. Na configuração da tela de bloqueio, para qualquer dispositivo, assegure-se de determinar o seu aparelho para bloquear automaticamente depois de alguns minutos de inatividade.

Verifique a origem dos aplicativos

No momento em que você verifica a proveniência de um software, você não possibilita para adquirir um celular hackeado. Você pode reduzir o risco ao instalar software a partir das grandes lojas de softwares: Google Play, Amazon Appstore, a Apple iTunes e Windows Store da Microsoft. Softwares de equipamentos da Apple e dispositivos com Windows são mais protegidos. Já o Android, exige alguns cuidados.

Com o objetivo de se comprovar de que você não instale apps Android suspeitos, se encaminhe para Configurações; Segurança e cancele a alternativa “Fontes desconhecidas”. Só porque um app encontra-se em uma loja oficial não garante que é completamente seguro. Você inclusive pode conferir opiniões e ir ver o site oficial do software.

Mesmo aplicativos legítimos são capazes de pegar informações do seu telefone que você pode não desejar compartilhar. É por causa disso que você necessita averiguar as permissões do aplicativo antes de instalá-lo. É fundamental saber quais informações de seu aparelho o aplicativo possui acesso. Quanto menos informações, melhor no quesito segurança.

Acione a localização remota

Se o seu dispositivo for extraviado ou furtado, os aplicativos de rastreamento são capazes de apontar precisamente em que lugar o telefone está. Estes apps inclusive permitem que você limpe informações sensíveis remotamente. Se o seu telefone celular acabar em mãos erradas, você é capaz de certificar-se que outro indivíduo não acesse suas descrições.

Utilizadores do iOS têm o Find My iPhone. Para ativá-lo, vá para Configurações; iCloud, ligando a opção “Find My iPhone”.

Os usuários de Android possuem o gerenciador de equipamentos Android. A fim de habilitar o rastreamento, inicie o aplicativo, conecte-o a uma conta do Google e siga as orientações. Para telefones com Windows, existe o recurso “Find My Phone”. Para ajustá-lo, se dirija para Configurações; Find My Phone, ativando a alternativa.

Dados do telefone celular – Descubra como protegê-los

Um dos maiores inconvenientes ao perder um telefone é permitir que outra pessoa tenha acesso a todas as suas descrições que podem ser acessadas pelo Celular. Várias vezes, os utilizadores deixam acessíveis todos os aplicativos sem que a outra pessoa que esteja em apropriação do celular tenha dificuldades em acessá-las.

É importante tomar alguns cuidados na hora de pôr descrições no seu Smartphone, afinal de contas, você jamais sabe quando vai poder perdê-lo ou ser furtado por aí afora. Abaixo, juntamos cinco sugestões que vão deixar a tarefa de qualquer pessoa desonesta mais complexa no momento de acessar as informações de seu celular e que irão assegurar a integridade e a privacidade dos seus dados.

Bloqueie a tela do seu celular

Esse é um dos procedimentos mais populares para impossibilitar terceiros a utilizarem seu celular. O bloqueio da tela inicial do telefone celular é um obstáculo que qualquer um vai precisar desafiar sem antes ter tido permissão a qualquer informação contida no aparelho. O recurso é simples de ajustar, onde o usuário escolherá por uma senha deslizante, numérica ou um código PIN.

O iPhone 5S possui um recurso muito mais moderno. A Apple introduziu o scanner de digitais o qual possibilita que apenas o proprietário do equipamento consiga desbloqueá-lo com a sua digital. Do contrário, não adianta nem sequer o ladrão ou outra pessoa desonesta tentar adivinhar a combinação da tela de bloqueio.

A desvantagem desse mecanismo é que se torna desconfortável ter que desbloqueá-lo todas as vezes que for necessário usar o aparelho. A dica para diminuir isso é lembrar-se de ativar a tela de bloqueio apenas quando você não estiver em casa.

Utilize recursos remotos

Recursos remotos ainda são desconhecidos por grande parte dos usuários. Mas, eles são muito úteis na hora de achar um Smartphone perdido. Para quem tem iPhone, a Apple pôs em seu aparelho, a começar da variante três. 0 do iOS, o recurso “Buscar Meu iPhone”.

Por intermédio dele é provável que o proprietário descubra onde o seu dispositivo está se o tiver perdido, esquecido em algum local ou tenha sido roubado e deseja saber precisamente em qual lugar achá-lo. O legal é que o aplicativo da Apple faz mais do que exibir ao usuário onde o seu aparelho se encontra.

Você pode optar travar imediatamente o seu equipamento e emitir uma mensagem com um celular para contato para que a pessoa que encontra-se em domínio do seu iPhone consiga realizar o contato com você com o objetivo de devolvê-lo. Existe ainda a tarefa “Apagar iPhone”, que apaga todos os dados do equipamento.

Para você efetuar a ativação, basta acessar a página do iCloud e ir até o menu “Configurações”. O recurso é ofertado para todos os aparelhos da Apple, desde iPods e iPads, a Macs.

Se almeja um sistema similar da Apple compreenda que estes têm suporte para consultas por meio de sua conta pessoal Google. Esse serviço chamado de Gerenciador de Dispositivo Android pode exibir a localização de seu dispositivo dentro de um mapa, além de apagar os dados presentes no Smartphone e proporcionar o bloqueio do aparelho remotamente.

Para isto, basta acessar o app Configurações do Google e dirigir-se para a opção Gerenciador de Dispositivo Android para ativar as opções. Se você tem o hábito de desativar o serviço de GPS para economizar bateria, você não poderá saber em que lugar seu celular se encontra.

Faça backup de seus programas

Este ainda é um dos métodos bastante utilizados por muitos utilizadores. Fazer backup de seus arquivos é uma excelente ferramenta. Não unicamente assegurando a segurança das informações, como para salvar-se de problemas caso você seja roubado ou não o ache.

O Google fornece em seus aparelhos Android a proteção de todos os dados inclusos nos aplicativos. Tal como senhas de rede Wi-Fi, preferências do telefone celular e outras informações. Para ativar essa segurança, basta ir até a seção Backup e Restauração em Configurações.

Desse modo, tudo irá ficar salvo na nuvem se você precisar restaurá-los posteriormente. Semelhantemente, a Apple oferece opções de backup para seus usuários. Na seção Armazenamento e Backup, nos ajustes da página do iCloud.

Fotografias, músicas e vídeos são arquivos que não devem ser desprezados e carecem estar seguros contra pessoas desonestas. Por causa disso, o melhor é realizar o backup de todos esses arquivos de mídia em softwares como o iCloud, Dropbox, OneDrive e Flickr.

Criptografe seus dados

Todas as sugestões que dizemos já afirmam uma ótima proteção de seus dados em seu celular ou outros equipamentos. Contudo nenhuma delas será tão eficiente e protegerá seu aparelho da petulância de outros indivíduos quanto a criptografia de dados.

Criptografar dados assegura um nível maior de segurança, coibindo ainda mesmo hackers de possuírem ingresso às suas informações. Se você tiver conteúdo de grande significatividade em seu equipamento é aconselhável utilizar esta dica desde então. Com isso, você estará, ainda, se assegurando de não possuir um celular hackeado.

Isso é possível de ser feito na ocasião em que você configura um código para o aparelho nos equipamentos iOS. Para fazer este procedimento é necessário acessar Ajustes; Touch ID e Código (no iPhone 5S) ou Ajustes; Código (outros modelos) e clicar em “Ativar Código”.

No BlackBerry existe um recurso disponível parecido com o da Apple. Nessa situação, basta ir até a repartição Configurações, depois Segurança e a seguir Encriptação. Aparelhos com Windows Phone também oferecem esta ferramenta.

O Windows Phone 8 de modo automático efetua a encriptação dos dados que encontram-se contidos no cartão de memória. Mediante o Encryption, este impede que os dados contidos no dispositivo possam ser lidos sem que você autorize.

Entre os malefícios da encriptação dos dados está o caso de que certas operações do seu celular são capazes de ficar mais lentas, pois todas as informações devem ser decodificadas antes de serem acessadas.

Configure seus softwares

Os próprios softwares possuem algumas formas de evitar que alguém consiga pôr conteúdos ou possuir acesso a descrições sem seu consentimento. O Facebook, um dos aplicativos mais utilizados nos Smartphones, concede a alternativa “Onde Você está Conectado”, que pode ser acessado na seção Segurança dentro da página Configurações.

Por meio deste recurso é possível que você veja quem está conectado em sua conta e, caso deseje, desconectá-las.

Os emails ainda podem ficar salvos caso você utilize o Gmail, por exemplo. Encontrado no canto inferior direito da caixa de entrada, o link “Detalhes” também possibilita ver quem esteve conectado no seu perfil e fazer a interrupção de qualquer atividade questionável.

Muitos outros apps também possuem esse mesmo tipo de função, que é capaz de auxiliar você a apurar quem está entrando em suas contas e apps impropriamente.

Com a utilização dessas dicas, fica muito mais simples conseguir achar seu dispositivo ou proteger os dados inclusos nele. É fundamental que, caso você tenha perdido seu telefone celular ou tenha sido furtado, acesse imediatamente suas contas a fim de que consiga desempenhar o bloqueio de seu dispositivo e da visualização de suas descrições o mais rápido possível.

Smartphone – Precauções a serem tomadas

O planeta hoje acha-se mais interligado, é necessário apenas ter um Smartphone em mãos para ter alcance a divertimento infinito e a informações quase ilimitadas. Mas, a questão é: Será que a permanente assiduidade dos celulares em nossas vidas é tão vantajosa quanto aparenta? Diversos estudos evidenciam que o uso exagerado de celulares prejudica não apenas nossa saúde e relações sociais, nossa capacidade intelectiva e capacidade de concentração também estão sendo lesadas.

A presença dos iPhones tira o foco dos indivíduos

pessoas-viciadas-em-smartphone O professor adjunto de McCombs, Adrian Ward e co-autores, fizeram experimentos com quase oitocentos usuários de smartphones tentando medir, quão bem as pessoas podem completar os afazeres na ocasião em que encontram-se com seu Smartphone nas imediações, mesmo sem utilizá-lo. Num experimento, os estudiosos pediram para os integrantes do exame que se assentassem em um computador e efetuassem uma sucessão de testes que requeriam concentração total a fim de assinalar bem as soluções. Os testes foram orientados para aferir a capacidade intelectiva disponível dos participantes – ou seja, a possibilidade do cérebro de manter e processar informações em qualquer momento.

Antes de começar, os membros foram treinados aleatoriamente para botar seus celulares na banca com a face voltada para baixo, no bojo ou no case individual, e, inclusive, em outro aposento. Todos os integrantes foram instruídos à colocarem seus iPhones no padrão silencioso. Os especialistas constataram que os integrantes com os celulares colocados em outra dependência superaram significativamente aqueles com seus telefones na banca, e eles também superaram ligeiramente os participantes que preservaram seus celulares em um case individual ou bolsa.

Os apontamentos mostram que a mera presença de um Smartphone reduz a capacidade cognitiva disponível e lesa o funcionamento mental, ainda que os indivíduos sintam que encontram-se dando toda atenção e dedicação na tarefa em foco.

” Vemos uma propensão linear a qual indica que, ao passo que o Smartphone acaba por se tornar mais perceptível, a capacidade cognitiva disponível dos integrantes minimiza “, afirma Ward. “Sua mente consciente não acha-se pensando em seu celular, contudo esse processo – o processo de exigir que você não pense em uma coisa – usa alguns de seus recursos cognitivos limitados. É uma fuga de capacidade [mental]”.

Em outro teste, os especialistas analisaram como a dependência de um celular influencia a inteligência de um indivíduo – ou por qual motivo um indivíduo sente que tem a necessidade de ter um Smartphone a fim de superar uma capacidade cognitiva característica do cotidiano. Os integrantes realizaram a mesma sequência de experiências baseados em computador que o primeiro grupo, e foram aleatoriamente designados para preservar seus Smartphones próximos na mesa da frente, com a face para baixo, no case individual ou bolsa ou em outra dependência. Nessa experiência, alguns integrantes ainda foram orientados a desativarem seus telefones.

Os especialistas verificaram que os participantes que eram os mais dependentes dos seus Smartphones tiveram um aproveitamento pior comparando-se com os colegas menos dependentes, mas só no momento em que eles conservaram seus Celulares na mesa, no bojo ou bolsa. Ward e seus colegas inclusive descobriram que não interessa se o telefone de um indivíduo encontrava-se ligado ou desligado, ou se encontrava-se deitado de frente para cima ou de frente para baixo em uma banca. Possuir um telefone à mostra ou de fácil acesso diminui a capacidade de uma pessoa se concentrar e efetuar tarefas, já que parte do seu cérebro acha-se trabalhando intensivamente a fim de não pegar ou usar o celular.

“Não é que os participantes encontravam-se distraídos porque percebiam notificações em seus telefones “, esclareceu Ward. “A simples presença de seu Smartphone foi o bastante para reduzir sua inteligência “.

O telefone afeta as relações sociais

celular-atrapalha-relacionamentos Os celulares são capazes de lesar as relações pessoais apenas por sua presença, mesmo na ocasião em que não acham-se em utilização, conforme novas pesquisas. 2 estudos revelaram que, se um celular é perceptível no decorrer de uma conversa, faz com que as pessoas sintam-se menos positivas com o indivíduo com quem dialogam. As descobertas indicam que mexer com seu smartphone ou meramente mantê-lo à vista durante um encontro a dois ou uma reunião com um amigo poderá ser um preocupante erro social.

Psicólogos que comandaram os experimentos na Universidade de Essex consideram que os Smartphones atiçam automaticamente pensamentos acerca de redes sociais mais extensas, minimizando o coeficiente de sintonia e entendimento nas comunicações presenciais. ” Em todos os estudos, encontramos provas de que o celular pode chegar a ter efeitos negativos nas proximidades, conexão e qualidade da conversa. A presença de um telefone celular é capaz de levar os indivíduos a refletir em outras pessoas e eventos fora do seu âmbito social imediato. Ao realizá-lo, eles extraviam a atenção de uma situação entre pessoas que ocorre no momento para se reter numa multiplicidade de certas preocupações e interesses”, indicou o cientista principal, Andrew Przybylski.

No primeiro estudo, um grupo de psicólogos solicitou a 37 pares de pessoas desconhecidas que passassem 10 minutos conversando uns com os demais sobre um evento interessante que aconteceu em suas vidas no mês passado. Os participantes sentaram-se em cadeiras em uma cabine privada e um Smartphone foi colocado em uma mesa próximo da metade deles. Para a outra metade, um caderno foi posto no mesmo local no lugar de um celular. Após o fim de suas conversas, todos os integrantes responderam questões com respeito a pessoa que tinham conhecimento, que foram classificadas usando modelos de avaliação psicológica padrão. Os pesquisadores perceberam que as pessoas que dialogavam com um celular visível nas proximidades eram significativamente menos efetivas em relação aos outros integrantes sobre a pessoa que acabavam de ter conhecimento. Eles eram menos predispostos a aceitar declarações como ” é possível que meu companheiro e eu consigamos nos tornar amigos se interagirmos bastante”.

Em um segundo estudo envolvendo 34 pares distintos de pessoas desconhecidas, alguns foram requisitados para conversar acerca de um assunto mundano, à medida que outros tiveram que falar acerca dos ” eventos mais marcantes do último ano “. Semelhante ao primeiro estudo, a metade dos pares conversou com um Smartphone posto em uma mesa próxima e metade com um caderno no mesmo local. Ter uma conversa “significativa” em vez de uma conversa com respeito a tópicos triviais aumentou os sentimentos de aproximação e segurança em seu companheiro para os participantes que viram um caderno ao longo de seu bate-papo. Mas o similar efeito não ocorreu para aqueles que tinham um celular localizado nas proximidades.

“Estes resultados demonstram que a presença de smartphones é capaz de interferir nas interações humanos, um efeito que é mais claro na ocasião em que indivíduos estão discutindo tópicos pessoalmente importantes”, reiteraram os pesquisadores.

Os apontamentos foram os primeiros concebidos para ver estritamente os efeitos de um Smartphone presente na comunicação face a face. Os cientistas afirmaram que uma pesquisa adicional seria capaz de avaliar se a presença de um telefone celular de fato causa variações consideráveis no comportamento das pessoas ou somente suas percepções da experiência.

Luzes do Smartphone causa danos não reversíveis à visão

smartphone-prejudica-os-olhos Nos dias recentes, é quase improvável passar o dia sem olhar a tela da tv, do computador ou do telefone celular. Um apontamento efetuado pela Millward Brown Brasil e NetQuest em 2016 mostrou que o brasileiro consome mais de três horas ao dia de frente ao telefone. Entre os adolescentes, a média é ainda maior: quatro horas. E o uso demasiado desses aparelhos tem elevado a ocorrência de problemas de visão. A luz azul violeta emitida por TVs, celulares, PC’s, tablets e ainda por lâmpadas de LED são capazes de gerar danos irreversíveis, conforme a diretora da Sociedade de Oftalmologia Pediátrica da América Latina, Marcia Beatriz Tartarella. “O efeito da radiação por fototoxicidade vai se acumulando nas células da retina, e isto causa a degradação da mácula, área delicada da visão”, afirma.

Os primeiros traços de complicações referentes a este tipo de luminosidade não se manifestam de imediato. Conforme a especialista, é impossível constatar anomalias a curto prazo, entretanto qualquer indício de esgotamento visual, sensação de olhos secos, irritação ótica e até coceira, deve ser avaliado clinicamente.

Vice-presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, José Augusto Alves Ottaiano explica que piscamos menos quando estamos em contato com a tela de PC’s ou Smartphones, além de realizarmos maior pressão a fim de que a visão esteja focada. “Nós piscamos em média quinze vezes a cada minuto. Este é o número necessário para uma ótima lubrificação lacrimal. No entanto, em momentos de stress, que requerem um foco bastante grande do nosso olhar, essa porção pode se diminuir a 4, cinco vezes por minuto. Isto gera uma sobrecarga ocular”, diz o especialista.

O especialista ainda fornece algumas dicas a fim de reduzir o choque da iluminação:

  • Para quem trabalha em escritório, por exemplo, o melhor é que o microcomputador ache-se constantemente na mesma linha da visão. Caso esteja acima, a musculatura ocular demora um tempo maior para renovar a superfície lacrimal, deixando o olho desidratado.
  • Não se deve ampliar a constância em frente à tela. Folgas a cada 2 horas ajudam a evitar maiores problemas.
  • Ar condicionado similarmente desidrata os olhos e aumenta os transtornos causados pela luminosidade, principalmente em ambientes de tamanho menor como dentro do automóvel.
  • É importante recordar de regular as configurações de cada tela a fim de que o brilho se ajuste segundo a iluminação do local. Lugares escuros não precisam de um alto brilho no display do smartphone.

A ausência de cuidado prolongado nestes casos pode originar doenças nos olhos como a catarata e presbiopia, além de distúrbios nas áreas da córnea, retina, mácula e cristalino, conduzindo à perda de visão gradativa. A luz azul está também presente em locais externos e, devido a isso, a utilização de óculos escuros com proteção para raios ultravioleta é aconselhado.

“Existe radiação da luz azul violeta através do sol em fração ínfima, contudo isto tem crescido devido à perda da camada de ozônio, que protege a poluição ambiental”, assegura Tartarella.

Outra possibilidade é o uso de lentes fotossensíveis, que se ajustam conforme a iluminação do ambiente e dos dispositivos com tela. “O mercado atualmente já tem tratamentos especiais que oferecem bem-estar e segurança em qualquer ambiente ”, completa a oftalmologista.

Uso excessivo do celular ocasiona problemas na coluna

smartphone-prejudica-a-coluna Cada vez mais existente na rotina das pessoas, os Smartphones ou tablets são ferramentas que as complementam, tanto no trabalho, quanto no lazer. As leituras regulares feitas nestes dispositivos faz com que o leitor obtenha uma postura automática que, conforme seu tempo de uso e a intensidade da inclinação, tem grande chance de causar alguns problemas. A text neck, como é denominada essa posição da inclinação da cabeça e coluna para a leitura nestes aparelhos, pode chegar a ser uma preocupação internacional da fase da tecnologia, segundo pesquisadores, por afetar uma significativa e crescente parte da população.

“A utilização do celular faz com que o indivíduo tenda a tombar a cabeça e o pescoço para frente. Essa inclinação mantida por várias horas no dia a dia e por muito tempo tem grande chance de causar uma sucessão de desconfortos. Dor no pescoço, dores de cabeça e dor nas costas são os relevantes”, expõe o ortopedista Jefferson Leal, professor do Departamento do Aparelho Locomotor da Faculdade de Medicina da UFMG.

De acordo com Leal, a inclinação da cabeça para frente é inato, fisiológica e inofensiva nas situações do dia-a-dia que não requer mais que muitos segundos na posição. Porém, para cada grau de inclinação da cabeça para frente na posição em pé, a compressão dentro dos discos da coluna do pescoço aumenta. “Com quinze graus de inclinação para frente, a compressão dentro do disco quase triplica. Com 60 graus, a compressão aumenta 6 vezes”, esclarece. “Depois disto, olhe ao seu redor e veja quantas pessoas utilizando o celular em pé e com o pescoço inclinado para frente. Considere essa pressão sobre o pescoço por muitas horas e por vários anos. Certos apontamentos indicam que esta postura ruim é capaz de ser a causa do envelhecimento prematuro do disco intervertebral”, completa.

Além dos problemas como enxaquecas e na coluna, este tipo de postura é capaz de ainda provocar degradação precoce do disco intervertebral. “A postura ruim também é capaz de reduzir a capacidade pulmonar e mais dificilmente estar relacionados à depressão, doenças do coração e oftalmológicas”, diz o ortopedista.

Como modo de prevenção ou diminuição nesses problemas, Jefferson Leal sugere movimentar a cabeça e pescoço diversas vezes por dia e fortalecer os músculos do pescoço forçando a cabeça contra sua resistência utilizando as próprias mãos, tanto para frente como para trás. Além disto, ficar de pé junto a uma parede com os membros estendidos e empurrar o peito para frente para endurecer “ a musculatura da ótima postura ”. Ele também aconselha olhar para o celular mais com os olhos do que com cabeça.

Consoante o professor, na ocasião em que os indícios se tornam persistentes e não atenuam com a redução do uso do telefone celular ou da adoção destas ações corretas pode significar gravidade, sendo aconselhado buscar um especialista.

iPhone e suas utilidades – Entenda sobre

Você é ou já foi usuário de um iPhone ? Se sim, sabe muito bem que ter um iPhone é uma experiência única. Difícil mesmo é conseguir acompanhar os aperfeiçoamentos tecnológicos que a Apple vem mostrando ao mercado. O iPhone atingiu à sua 10ª geração com valores amargos e tecnologia nunca antes vista. Porém, caso você seja um apaixonado por este smartphone e não consegue adquirir o modelo mais completo, fique frio. Esse guia traz para você informações com relação às muitas gerações de iPhones. Com ele, você vai examinar que possuir um dispositivo ligeiramente mais antigo (e acessível) inclusive pode ser um excelente negócio. Porém, caso você nunca comprou um iPhone… se prepare para o que vai descobrir!
O iPhone divide opiniões acerca do fato de ser – ou não – o mais adequado smartphone do mundo. O renome de “mais afamado”, contudo, não tem jeito de negar que é dele. Apresentado por Steve Jobs no ano de 2007 e aperfeiçoado anualmente, ele já encontra-se em sua décima versão (X) e aparenta ainda produzir o mesmo êxtase do primeiro protótipo nos seus clientes. Qual é o motivo de tanto marketing em cima desse pequeno aparelho e por quais motivos ele alterou o espírito da telefonia móvel? Enfim, o que é este aparelho sobre o qual todo mundo comenta?
O conceito de smartphone (celular inteligente) foi levado ao pé da letra no desenvolvimento do iPhone, desde o seu primeiro modelo. O aparelho da Apple é um telefone, sim, no entanto muito mais do que isso. Ele é capaz de adentrar na Internet, tirar fotos, enviar e-mails, mensagens de texto e imagem, reproduzir música e vídeo, permitir o download de aplicativos, e funciona como leitor de livros… É um legítimo símbolo da centralização digital.
O primeiro detalhe que foi analisado no momento em que um indivíduo via inicialmente o iPhone é: “onde encontravam-se os botões”? Essa experiência sempre foi totalmente sensitiva. Com uma tela sensível ao toque dos dedos, ele permanentemente trabalhou sem a utilidade de se pressionar (quase) nada. Existe só um particular botão em alguns modelos, o qual funciona como uma forma de tecla “voltar à tela inicial”, e mais nada. Também não é necessário nenhuma canetinha especial para escolher qual aplicativo que você quer utilizar: apenas toque com o dedo mesmo.
A todo o momento foi possível utilizar, até mesmo, mais de um dedo graças à tecnologia chamada multitouch, o que oferecia também determinados recursos muito úteis ao iPhone, como o “método de pinça”. Usando o polegar e o indicador, “estique ou puxe” a tela para expandir ou diminuir o tamanho de um texto ou imagem na tela. Para escrever, não havia teclado físico, apenas o virtual – o que incluía um dicionário multi-idiomas e corretor ortográfico automático.
A APP Store, loja de softwares formal do iPhone da Apple, já contabiliza bilhões de downloads de arquivos a contar do seu lançamento. Os números, logo, falam por eles. Talvez os aplicativos sejam os grandes atrativos para uma pessoa que acha-se iniciando o familiaridade com o equipamento. Há programas para as mais diversas funções que você seja capaz de imaginar. São games, editores de imagem, mensageiros instantâneos, social medias, editores de textos, planilhas e apresentações, players de mídia, navegadores em GPS, além de aplicativos de empresas, canais de tv e rádio, jornais entre outros.
Determinados são pagos, outros gratuitos, contudo todos de simples acesso. Basta conectar-se a App Store por intermédio de seu smartphone ou então pelo pc e, em seguida, efetuar a transferência mediante USB. O caso de o iPhone gerar, rodar e dividir arquivos de texto, planilhas, slides e vídeos em vários formatos é um dos seus principais atrativos. A integração com o iTunes, serviço de compra de canções, filmes e livros da Apple, facilita bastante. O celular é um legítimo combo de utilidades, com tudo constantemente ao alcance de um toque.
Outro detalhe marcante do aparelho em comparação com todos os demais smartphones é o seu sistema operacional, o iOS. Criado pela Apple unicamente para ele, inteiramente com base na interface sensível ao toque, além de usar e exagerar de recursos como o acelerômetro. Devido ao seu êxito, o sistema foi exportado para outros dispositivos da empresa, como o iPod touch e o iPad.
Anualmente, bem como o iPhone, o iOS é atualizado e vai ficando cada vez melhor e mais seguro. Ele torna a navegação simples, intuitiva, e facilita a configuração do dispositivo.
Ao oposto de seu principal rival, o Android, o iOS não é um sistema operacional bastante personalizável. Ele é muito convencional, e mantém seus padrões e características sem que se possa mudar muita coisa. Apesar disto, suas especificações técnicas são bastante interessantes. Na versão mais recente, por exemplo, é possível editar fotografias da câmera, tal como é capaz de executar o multitasking, que possibilita usar diversos aplicativos ao mesmo tempo.
Do primeiro iPhone lançado até o atual modelo X, bastante coisa foi alterada. Do mais contemporâneo a um dos primeiros modelos, veja o que o Iphone pode lhe proporcionar:

iPhone X

iphone-x O Apple geração X é um Celular iOS com propriedades totalmente novas que o tornam uma boa alternativa para qualquer tipo de utilização. A tela de 5. 8 polegadas põe esse dispositivo no topo de sua categoria. A resolução ainda é alta: 2436×1125 pixel. As funcionalidades oferecidas pelo novo aparelho são inúmeras e excelentes. Principiando pelo LTE 4G que permite a transferência de dados e excepcional navegação na internet, além de conectividade Wi-fi e GPS presente no dispositivo.
Tem também leitor multimídia, videoconferência, e bluetooth. Vale salientar a formidável memória interna de 256 GB, porém sem a possibilidade de expansão. Câmera de 12 megapixels. A espessura de somente 7. 7 milímetros torna o aparelho um dos telefones mais finos existentes.
O maior destaque deste Smartphone é, certamente, o seu novo design. Desde 2014, a Apple não lança um iPhone com modificações relevantes na aparência, contudo o protótipo de 2017 chega para acabar de vez com esse hiato. O aparelho possui um corpo aproximadamente todo feito em vidro e, inclusive, conserva uma moldura metálica. Fora isto, a parte da frente do celular é praticamente toda tomada pelo display OLED de 5, 8” (2436×1125 e 458 ppi), cantos abaulados e um corte peculiar na parte de cima a fim de abrigar a câmera frontal e alguns sensores.

Término do botão home

Esse celular ainda é o primeiro da linha a não ter um botão home físico/capacitivo. Isso pois o display ampliou e eliminou quase que inteiramente as bordas superior e inferior. Ao invés do Touch ID, agora possuímos o Face ID a fim de garantir a segurança dos usuários. Ele detecta informações do rosto do usuário, com uma série de sensores, o que abrange a câmera frontal e uma câmera infravermelha para profundidade.
Dependendo da Apple, não há a possibilidade de iludir o dispositivo utilizando fotografias ou mesmo máscaras desenvolvidas com as melhores tecnologias utilizadas em Hollywood. O sistema ainda usa aprendizado de máquina para que, ao longo dos dias, o Face ID se adapte às modificações no seu rosto. Quer dizer, não interessa o estilo de cabelo, barba ou óculos que você tenha, não será preciso recadastrar a biometria. Essa novidade também é utilizada para o Apple Pay.
A Apple não manifesta, mas parece que a empresa – tal como a Samsung – não conseguiu embutir o sensor de digitais diretamente na tela como era hipoteticamente planejado.
Ainda por cima, a Apple teve que personalizar o iOS 11 particularmente para esse dispositivo. Para retornar à tela inicial do dispositivo, por exemplo, é necessário fazer um gesto no display de baixo para cima. A fim de fazer multitarefa, você interrompe o deslocamento no meio do trajeto.
O X é um dos primeiros dispositivos da marca a possuir carregamento sem fio. Acredita-se que foi por isso que a fabricante resolveu regressar para o vidro na tampa traseira, já que os padrões mais convencionais de carregamento wireless não operam por intermédio de ligas metálicas.

Câmeras

O smartphone da geração X ainda possui inúmeros recursos inéditos de câmera bastante promissores, entretanto só conseguiremos falar se o novo dispositivo possui poder para disputar com Galaxy Note 8 e Google Pixel na ocasião em que as primeiras amostras de captura de imagem começarem a surgir na web.
De qualquer jeito, o celular possui um dispositivo duplo de câmeras, cada um possuindo 12 MP (f/1. oito + f/2. 4) e ambas com estabilização óptica. No atual iPhone, contudo, elas são utilizadas para coisas diversas. Há diversas alternativas de efeitos de luminosidade, e eles podem ser usados em tempo real, enquanto você enquadra as imagens. A Apple relaciona estes recursos com circunstâncias de iluminação profissionais.
Na realidade, são efeitos notáveis, principalmente aquele que escurece completamente o entorno do usuário, deixando apenas seu rosto em evidência. É interessante observar, inclusive, que boa parte desses efeitos vão estar disponíveis para a câmera de selfies também, que vai ser ajudada pelo sensor infravermelho que capta profundidade.
Há a possibilidade de fazer vídeo em 4K e executar esse conteúdo na tela HDR do dispositivo, que ainda conta com som estéreo aprimorado comparando com a edição antecedente do celular.

Realidade aumentada

Outro aspecto essencial do atual modelo é o iOS 11 com suas competências para realidade aumentada. A Apple lançou na metade desse ano o ARKit, uma plataforma básica para desenvolvedores produzirem softwares nesse sistema e, já no lançamento, é possível usar uma série de recursos interessantes.

iPhone 8

iphone-8 O fato de a Apple ter anunciado tanto os iPhones 8 e 8 Plus quanto o X no mesmo dia fez muita gente determinar precocemente que os modelos mais básicos já tinham nascido mortos. Entretanto, basta pararmos para considerar os custos de cada edição aqui em território brasileiro para ficar complicado não hesitar e refletir se não vale mais a pena adquirir um dos smartphones mais baratos mesmo. O Iphone 8 é totalmente produzido de vidro, o que possibilita a tecnologia de recarga de bateria sem fios. E acompanha um novo sensor na câmera traseira, que segue de 12 Megapixels. Contudo agora pode capturar oitenta e três por cento mais luz, segundo a Apple. O iPhone 8 também é otimizado de fábrica para trabalhar com realidade aumentada.

  • Display: Retina HD de 4, 7 e 5, 5 polegadas, respectivamente, com tecnologia True Tone, que ajusta o balanço de cores segundo a luminosidade do lugar
  • Câmera traseira: doze Megapixels, com sensor capaz de capturar 83% mais luz e novo recurso de câmera lenta a 240 quadros por segundo
  • Processador: A11 Bionic de 6 núcleos, dois de desempenho 25% mais rápidos e 4 de eficácia setenta por cento mais rápidos
  • Colorações: “space gray” (cinza), “silver” (prata) e “gold” (dourada)
  • Alternativas de armazenamento interno: 64 GB e 256 GB

8 Plus

O iPhone 8 Plus teve lançamento internacional feito pela Apple junto com o iPhone 8 e o iPhone X. No anúncio, a fabricante exibiu um celular com especificações que fizeram sucesso no iPhone 7 Plus, como a câmera dupla de doze megapixels e a tela de 5, 5 polegadas. Além de tudo, o design vai ter cantos arredondados, alterado apenas pela inclusão do revestimento de vidro na parte de trás.
O smartphone funciona com iOS 11 e está disponível em versões com 64 GB e 256 GB de armazenamento. Apresenta a mesma tecnologia do Iphone 8.

iPhone 7

iphone-7 Esse aparelho foi lançado com ficha técnica poderosa e novidades no desenho, o smartphone é um dos mais almejados pelos brasileiros, sejam antigos admiradores da marca ou iniciantes no universo da maçã. Em território brasileiro, é possível achar a edição mais básica, com tela de 4, 7 polegadas, e o modelo 7 Plus, com display de 5, 5 polegadas.
Este Celular é o que tem a tela menor, com quatro, 7 polegadas e resolução Retina HD. Em números, temos 1334 x 750 pixels, contabilizando uma densidade de 326 pixels por polegada. Vale recordar que essa proporção refere-se a quantidade de pontos luminosos em cada polegada. Quanto mais, melhor. Ao mesmo tempo, especialistas afirmam que telas com ppi acima de 300 já têm ótima qualidade.
O painel usado é um LCD IPS retroiluminado por LED. Na prática, possuímos um display com cores mais próximas à realidade, com um extenso campo de visão – quer dizer, o utilizador consegue enxergar satisfatoriamente as imagens em inúmeros ângulos.
O iPhone 7 e o 7 Plus possuem as mesmas alternativas de capacidade de armazenamento: 32 GB, 128 GB e 256 GB. A Apple decidiu rejeitar os modelos com 16 GB e 64 GB. Entretanto, o usuário deverá ter em consideração que o próprio sistema operacional ainda ocupa uma fatia deste espaço.
O iOS 10 ocupa, em média, de 4 GB a 5 GB. Desta forma, um iPhone 7 de 32 GB poderia ter “somente” 28 GB livres para o usuário guardar o que ele quiser. Vale recordar que iPhones não têm memória expansível via cartão microSD.
Um detalhe interessante: esse aparelho disponível na coloração preto brilhante (intitulado de Jet Black) é comercializado com memória interna de 128 GB ou 256 GB. Sim, foi uma forma que a Apple conseguiu de gananciar mais dinheiro dos clientes interessados no novo acabamento do celular.
Outro fator essencial: há na internet muitos relatos de clientes – inclusive em território brasileiro – cujos iPhones novos passaram a descascar com o tempo. A própria Apple já alertou que a pintura é capaz de passar por uma deterioração. É uma coisa para ficar esperto.
A Apple não diz a amperagem da bateria, entretanto sites especializados já fizeram o cálculo. Entretanto esse celular possui capacidade de 1. 960 mAh. Dependendo da fabricante, o resultado é uma autonomia de até duas horas a mais, se igualado com o iPhone 6S.
A Apple fornece 5 alternativas de colorações para os clientes dos iPhones 7 e 7 Plus. São elas: ouro rosa, dourado, prateado, matte e Jet Black. A disparidade entre ambos matizes de escuro é que o primeiro é mais turvo, enquanto o segundo é reluzente (e devido a isso mesmo, fica cheio de marcas de dedo).

sete Plus

O iPhone 7 Plus conta com tela de 5, 5 polegadas. A resolução também amplia, chegando a Full HD (1920 x 1080 pixels), totalizando 401 ppi. O painel utilizado também é um LCD IPS retroiluminado por LED. Além disto, os dois contam com revestimento resistente a marcas de dedo e oleosidade. Comparando-se com o seu principal concorrente, o Galaxy S7, vemos que a tela do iPhone 7 Plus é maior, porém com menor resolução. O S7 possui tela de 5, 1 polegadas com resolução de 2560 x 1440 pixes, totalizando uma densidade de 577 ppi. A partir desses dados, o S7 deve oferecer imagens mais especificadas.
A câmera de trás desse aparelho tem sensor com doze megapixels de resolução, tal como o iPhone 7 Plus. A diferença é que a versão com tela maior possui câmera de trás dupla, uma com lente grande-angular e abertura de lente f/1. 8, e a outra com lente teleobjetiva com abertura f/2. 8. Isso proporciona que o modelo Plus tenha um zoom óptico de 2x e um zoom digital de 10x, bem maior do que a maioria dos celulares proporciona.
Esse aparelho, por sua vez, possui uma bateria de 2. 900 mAh, o que representa 60 minutos a mais de independência em relação ao iPhone 6S Plus. Conforme a Apple, o celular aguenta até TREZE horas de uso da rede móvel (3G/4G), 14 horas de exibição de vídeos e 60 horas de reprodução de músicas.

IPhone SE

iphone-SE O iPhone SE é um dispositivo que regressa às origens ao mostrar uma tela de tamanho pequeno – apenas 4 polegadas – em contraste com o mostrado pelos modelos anteriores que tinham – 4, 7 polegadas e 5, 5 polegadas.
Este iphone veio para aposentar de uma vez por todas o iPhone 5c, um dispositivo que não fez o glória que a companhia de fato esperava. Além disso, este dispositivo inclusive chegou para atender ao apelo daqueles que queriam um modelo com tela atenuada.

Especificações técnicas do padrão SE

  • Sistema operacional: iOS 9. 3
  • Tamanho da tela: quatro polegadas
  • Resolução da tela: 1136×640 pixels
  • Densidade de pixels: 326 ppi
  • Chipset: Apple A9
  • CPU: Dual-core de 1, 84 GHz
  • GPU: PowerVR GT7600
  • Memória RAM: 2 GB
  • Armazenamento interno: 16 GB ou 64 GB
  • Câmera traseira: 12 MP
  • Câmera frontal: 1, 2 MP
  • Bateria: 1. 642 mAh
  • Sensores: sensor de impressões digitais, acelerômetro, giroscópio, proximidade e compasso
  • Conectividade: WiFi 802. 11 a/b/g/n/ac, hotspot, Bluetooth 4. 2, GPS (A-GPS e GLONASS) e NFC (para o Apple Pay)
  • Estatura: 123, 8 milímetros
  • Largura: 58, 6 mm
  • Espessura: 7, 6 mm
  • Peso: 113 gramas

iPhone 6

iphone-6 A 8ª geração do iPhone foi a primeira a contar com 2 modelos com tamanhos distintos de tela. À medida que o iPhone 6 possui a agora convencional tela de 4, 7 polegadas, a versão Plus possui a incumbência de concorrer com os chamados phablets e conta com 5, 5 polegadas.
Além de tudo, a resolução de ambos os equipamentos também é diferenciado entre si: ao passo que a versão tradicional tem resolução de 1. 334 x 750 pixels, a edição Plus tem resolução de 1. 920 x 1. 080 pixels. As diferenças, no entanto, não param por aí e abrangem detalhes como o tipo de estabilização de imagem presente na câmera de cada gadget: digital no seis e óptica no seis Plus.
A duração da bateria da versão Plus ainda é maior, terminando aí as divergências entre ambos. Tecnicamente, eles apresentam os mesmos recursos, como processador ARMv8-A Cyclone dual-core de 1, 4 GHz, 1 GB de memória RAM e iOS 8. 0. Fisicamente, a 8ª geração traz novos detalhes nas bordas, ganhando feições arredondadas.
O Apple iPhone 6 Plus é um celular iOS de ótimo nível, ótimo para fotografias, que pode satisfazer até o mais meticuloso dos usuários. Tem uma grande tela Touchscreen de 5. 5 polegadas com uma boa resolução de 1920×1080 pixels. Não falta nada nesse aparelho. Iniciando pelo LTE 4G que possibilita a transferência de dados e excelente navegação na Web, além de conectividade Wireless e GPS. Conta com ainda leitor multimídia, videoconferência e bluetooth. Enfatizamos a boa memória interna de 128 GB, porém sem a possibilidade de expansão.
Maravilhosa a câmera de oito megapixels que permite ao iPhone capturar fotografias com uma resolução de 3264×2448 pixels e gravar vídeos em high definition (Full HD) com uma resolução de 1920×1080 pixels. Bastante fino, 7. 1 milímetros, o que torna o Apple iPhone 6 Plus verdadeiramente interessante.

Modelo 6s

O iPhone 6s conta com como destaque a implantação do recurso 3D Touch, aplicação que calcula a intensidade da pressão usada pelo dedo na tela e permite várias funcionalidades distintas como o uso de diversos atalhos. O novo equipamento da Apple ainda instaurou uma nova coloração à família, o Rose Gold (Rosa Dourado), e inclusive possui o novo chip Apple A9 com coprocessador M9 integrado, câmera otimizada de doze megapixels e suporte à gravação de vídeos em 4K.
Lançados com 1 ano de diferença (o 6 no ano de 2014 e o 6S em 2015), são dispositivos aproximadamente idênticos visualmente (pequenos detalhes de diferença), entretanto diferenças robustas em funcionamento e melhorias de rendimento e funções.
O iPhone 6S introduziu no mercado o denominado Force Touch que reconhece diferentes tipos de toques (pressão) na tela do dispositivo e assim ativar funções diversas, inexistente no modelo 6.
O iPhone 6 acompanha processador A8 com 1GB de memória RAM enquanto o 6S possui o A9 com 2GB de memória RAM. Consoante a Apple, o iPhone 6S é duas vezes mais rápido que seu antecedente.
Uma das grandes melhorias vieram nas câmeras. O seis possui câmera frontal de 2MP e câmera traseira de 8MP, já o 6S possui câmera frontal de 5MP e câmera traseira de doze megapixels, um salto bastante grande na qualidade.
Ambos possuem tela de 4, 7 com 1. 334 x 750 pixels de resolução e podem ser achados com 16GB, 64GB e 128GB, nas cores cinza espacial, prateado e dourado, com exceção do iPhone 6S que ainda tem a coloração Rosa Dourado.
Trabalham com chip Nano Chip, com conectividade 4G e conta com entrada de cabos de dados do tipo lightning. Atualizam para iOS dez dando acesso a milhares de aplicativos disponíveis na App Store e no iTunes.

6S Plus

O iPhone 6S Plus é o top de linha da Apple com Tela Retina HD de 5, 5 polegadas anunciado em setembro de 2015. O celular foi apresentado junto com o iPhone 6S e é comercializado nas cores prata, dourado, ouro rosa e cinza espacial. Entre as novidades, encontra-se a tecnologia 3D Touch, capaz de identificar os níveis de força usados pelo usuário na tela.

O leitor biométrico Touch ID chegou à 2ª geração capaz de sentir os dedos do dono e desbloquear o smartphone com maior velocidade. A câmera principal grava vídeos em 4K e possui doze megapixels, um incremento com relação aos 8 MP existentes na câmera do iPhone 6 Plus. Já a câmera frontal possui cinco megapixels, dependendo da ficha técnica oferecida pela fabricante.

iPhone 5

iphone-5 O iPhone 5 expôs novos detalhes físicos que o distinguiam de seus antecedentes imediatos, como tela maior (de 4 polegadas ), novo posicionamento da câmera frontal e também bordas que acompanhavam a coloração principal do dispositivo.
Com processador dual-core de 1, 3 GHz, ele exibia 3 modelos distintos, com as mesmas capacidades do seu antecedente. Os modelos de 16 GB, 32 GB e 64 GB eram vendidos por US$ 199, US$ 299 e US$ 399, respectivamente (com contrato). Pela primeira vez, a câmera frontal podia acossar vídeos em HD (720p) e fotos de até 1, 2 megapixels.
A câmera de trás mantinha essencialmente as mesmas características do iPhone 4, com sensor de oito megapixels e capacidade de registro de vídeos em Full HD a 1080p. Nos seus três primeiros dias de lançamento, o iPhone 5 vendeu mais de 5 milhões de unidades. O gadget foi descontinuado em setembro do ano de 2013.

Versão 5s

O iPhone 5s foi o primeiro smartphone da Apple que estabeleceu o leitor de digitais Touch ID. Ele conservou quase a mesma carcaça com quatro polegadas de tela do iPhone 5, aperfeiçoando o processador que começou a trabalhar em 64 bit com o chip Apple A7 Cyclone.
O modelo 5s é similar anatomicamente ao seu antecedente, mas marca a inauguração de um novo botão Home e apresenta edições com novas cores e novos detalhes nas pontas.

O intermediário 5c

Lançado junto com o iPhone 5s, o 5c é a primeira incursão da Apple no comércio intermediário de celulares. Fundamentalmente, o aparelho era uma atualização do iPhone 5. Ainda por cima, ele exibia um novo parâmetro de cores, com cinco alternativas diferentes: branco, verde, azul, rosa e amarelo.
O iPhone 5c tinha modelos de 8, 16 e 32 GB para armazenamento e vinha com 1 GB de memória RAM. Sua tela era do mesmo tamanho do display do 5s, 4 polegadas, e, também, com a mesma resolução, 640 x 1. 136 pixels. O processador que dá vida ao gadget era um Apple Cyclone dual-core de 1, 3 GHz de 64-bits.
O Apple iPhone 5c é um celular iOS de bom nível, ótimo para fotografias, que é capaz de saciar até o mais meticuloso dos clientes. A tela Touchscreen de 4 polegadas e a resolução de 1136×640 pixels é inferior aos concorrentes diretos, entretanto esse não é o seu ponto forte.
Sobre as qualidades deste Apple iPhone 5c, na realidade, não falta nada. Iniciando pelo LTE 4G que possibilita a transferência de dados e excepcional navegação na internet, além de conectividade Wireless e GPS. Tem ainda leitor multimídia, videoconferência, bluetooth, contudo não conta com memória expansível. Maravilhosa a câmera de 8 megapixels que possibilita ao Apple iPhone 5C tirar fotos com uma resolução de 3264×2448 pixels e gravar vídeos em hd (Full HD) com uma resolução de 1920×1080 pixels. Bastante fino, nove mm, o que torna o Apple iPhone 5C efetivamente interessante.

iPhone 4

iphone-4 Anunciado no dia 7 de junho do ano de 2010, o iPhone 4 marcou época por apresentar a primeira excepcional renovação visual do gadget. Passava a apresentar pontas e traseira retas no lugar de laterais curvas e traseira abaulada, como havia sido até então.
Vindo de fábrica com o iOS 4. 0, o aparelho inaugurava ainda a presença de uma câmera frontal e do FaceTime no iPhone. Com tela de 3, 5 polegadas, pela primeira vez o celular da Apple apresentava uma resolução maior: 960 x 640 pixels. Ainda por cima, a densidade de pixels da chamada Retina Display similarmente era maior, 326 ppi.
O lançamento oferecia duas edições: uma de 16 GB e outra de 32 GB. Sem contrato com a operadora, elas eram comercializadas por US$ 599 e US$ 699, respectivamente. O iPhone 4 embarcava 512 MB de memória RAM e um processador ARM Cortex-A8, tendo sido descontinuado em setembro do ano de 2013.

A inovação do 4s

Lançado no dia 14 do mês de outubro do ano de 2011 em 7 países, o iPhone 4S é a quinta geração do smartphone da Apple. Ele vinha munido com a 5ª versão do iOS e com um processador ARM Cortex-A9 dual-core de 1 GHz, além de 512 MB de memória RAM. A tela conservava as mesmas características do seu antecessor.
À medida que a câmera de frente era equivalente ao do protótipo anterior, a câmera traseira recebia um aumento de capacidade e era capaz de capturar fotos de até oito megapixels. Além do mais, vinha com um sensor capaz de registrar vídeos em Full HD (1080p).
O iPhone vinha em três modelos distintos, de 16 GB, 32 GB e, pela primeira vez, 64 GB de capacidade interna para armazenamento. Seus preços originais eram US$ 199, US$ 299 e US$ 399, respectivamente. Fisicamente, ele mostrava quase nenhuma alteração com relação ao iPhone 4 e conservava os modelos preto ou branco. Foi interrompido em setembro do ano de 2014.

Dez coisas que você não sabe que seu iPhone é capaz de fazer

  1. Criar um código de acesso com letras, em vez de unicamente números

Clique em Configurações; Geral; Código de Acesso
Desligue a configuração denominada “Código de acesso simples”
Uma tela vai despontar solicitando para que você modifique o seu código de acesso, com um teclado QWERTY completo.
Na seguinte vez que você desbloquear seu Smartphone, o teclado vai aparecer, no lugar de só o teclado numérico.

  1. O Siri consegue ler os seus e-mails em voz alta ( apenas para mensagens no idioma inglês )

Fale para o Siri “read my email” e ele obedecerá. Você irá escutar o nome do remetente, a data/hora da mensagem e o assunto da mensagem. Você inclusive consegue orientar “read my latest email” ou perguntar “Do I have email from [person]?”

  1. Ver a hora e a data em que uma mensagem foi enviada

Só deslize os balões com as iMessages e aparecerá o indicador com o momento e o dia que a mensagem foi enviada.

  1. Ter noção de quais aviões encontram-se sobre sua cabeça

Questione ao Siri “What flights are above me? ” ou somente diga “planes overhead” e ele vai mostrar um quadro com todos os aviões e os números dos voos, com suas altitudes e ângulos.

  1. Balance o seu dispositivo para deletar um texto

Você repensou a respeito do que acabou de digitar? Balance o celular e uma caixa de “desfazer a digitação” vai aparecer. Caso você mude de ideia logo após apertar em desfazer, pode balançar o celular novamente e vai ver a caixa para “refazer a digitação”.

  1. Visualize facilmente uma versão mais caprichada do calendário

Vire o seu celular para o modo horizontal quando estiver no app do calendário, para ver uma versão mais meticulosa dos compromissos.

  1. Use o seu Smartphone como um nivelador

Deslize o aplicativo da bússola para a esquerda e você possuirá acesso a um nivelador.

  1. Tire um grupo de fotografias de uma vez

Segurar o botão de disparador da câmera, mecanicamente você ativa a função que tira várias fotografias de uma única vez.

  1. Adicione oscilações personalizadas

No app de contatos, você consegue ativar diversos padrões de vibração para diferentes contatos. Isto é bom para quem conserva o celular no bolso, então você poderá diferençar – sem usar as mãos – entre uma mensagem de texto ou um e-mail do seu patrão.

  1. Coloque o aparelho no modo avião e ele irá carregar 2 vezes mais ligeiro

Essa é a saída para quem necessita encher a bateria do celular depressa em um bar

Como encontrar seu iPhone, mesmo desligado

O aplicativo Last Alert Pro chegou atualmente ao iTunes com uma finalidade demasiadamente útil: encontrar seu aparelho mesmo no momento em que ele não tiver bateria. Caso você perca o celular a cada 10 min e nunca sabe como achá-lo, este APP é capaz de ser uma ótima alternativa para você.
O Last Alert Pro custa US$ 1, 99 e possui 3 funções muito interessantes: a primeira é a de notificações por som. À medida que o índice de bateria do iPhone vai diminuindo, o APP chama atenção com avisos sonoros com o objetivo de que você não esqueça de carregá-lo.
A outra finalidade é o alarme por email, no qual o aplicativo envia constantemente as coordenadas do GPS do seu iPhone mostrando em que lugar o smartphone “foi visto” pela última vez.
A última (e talvez mais fenomenal) é o rastreamento por bússola. Se você conta com um iPad e “perdeu” o seu Smartphone, há a possibilidade usar o seu tablet a fim de detectar as coordenadas de GPS e, de maneira automática, botá-las na bússola do tablet. Além do local, este recurso deixa que você ache o caminho a ser percorrido até encontrar o equipamento. O único inconveniente é que esse recurso só opera para quem tem dois equipamentos com iOS.

Aprenda a ajustar o software no seu smartphone:

  • Passo 1. Acesse o link do app no iTunes e faça o download para o seu iPhone ou iPod Touch. O download não costuma demorar bastante, já que ele conta com somente 8, 5 MB. Assegure-se, é claro, de ter U$ 1, 99 de crédito na sua conta;
  • Passo 2. O aplicativo, agora, deve ser inicializado de modo manual. Clique no ícone do Last Alert para o programa começar a rodar. Na tela inicial, você irá ver o símbolo do aplicativo e 3 opções em um menu na parte de baixo;
  • Passo 3. Pressione em “My Settings” para ajustar o aplicativo. O usuário consegue decidir entre “Set Alert” 1, 2 e 3, para ser avisado no momento em que a bateria estiver baixa e eleger os sons para discernir estes alertas;
  • Passo 4. Logo abaixo, em “Email GPS Location”, inclusive há três opções. Você não necessita utilizar todas. Esta função insere os endereços de e-mail para os quais deseja que a localização de seu celular seja enviada na ocasião em que a bateria estiver acabando;
  • Passo 5. Depois teclar todos esses detalhes, vá até “Track Device” e clique em “Test Tracking” a fim de testar o rastreamento de seu dispositivo. Caso tudo dê certo, você será redirecionado para uma nova janela com a última localização do seu telefone;
  • Passo seis. Nessa tela de rastreio existem seis informações com relação a seu celular: longitude, latitude e altitude de sua localização; data e hora em que ele foi visto pela última vez; e o coeficiente de bateria. Logo abaixo você possui duas opções: “Find on Map”, para utilizar o serviço de mapas do seu dispositivo móvel; e, inclusive, o “Track it”, para descobrir o percurso até chegar ao celular.

Uma vez verificado e configurado, seu app já estará pronto para as emergências. Seja em situações de distração, descuido ou mesmo para roubos e furtos, com esse app você descobrirá exatamente em que lugar encontrá-lo.

Como baixar vídeos do YouTube no iPhone e iPad, utilizando o Workflow

É habitual muitas pessoas questionarem se há algum aplicativo na APP Store capaz de fazer downloads de vídeos do YouTube diretamente pelo iPhone ou iPad. Melhor do que um aplicativo, há uma receita Workflow que permite fazer download de qualquer vídeo diretamente pelo Safari ou pelo APP oficial.
Aprenda como fazer:
O Workflow é uma relevante ferramenta que permite a criação de tarefas automáticas no iOS. Ele foi recentemente obtido pela Apple e é bastante possível que seja incorporado no sistema num futuro próximo.
Com ele você consegue automatizar várias coisas, como redimensionar uma imagem, criar um GIF animado e bem mais. E pode, também, automatizar comandos que possibilitem baixar vídeos do YouTube.
Antes de qualquer coisa, você precisa baixar o software Workflow nos seus Smartphones.
Com o APP instalado, você precisa, agora, baixar o fluxo de trabalho para realizar as tarefas que fazem downloads de vídeos.
Para fazer o download de todo tipo de vídeo no YouTube, siga essas outras etapas:

  • Passo 1: Abra o vídeo almejado no Safari ou então no software próprio do YouTube.
  • Passo 2: Toque no botão de compartilhamento e escolha Run Workflow.

Note que, se você estiver no aplicativo do Youtube (não no Safari) terá que apertar num botão a mais para ter acesso ao Run Workflow.
A partir daí o script é automático, efetuando todo o processo e salvando diretamente o vídeo na sua fototeca.
Tudo é excessivamente veloz e fácil, de uma forma que você vai se perguntar por qual motivo isto não é uma função nativa do sistema.
Essa é uma das maravilhas que são capazes de ser feitas com o Workflow.

Realidade Virtual – Tecnologia inovadora!

Chegou o momento de você ser o protagonista da narrativa e não um coadjuvante ou só observador. E no caso de daqui pra frente nós formos capazes de literalmente “entrar” no cenário de um filme?! Depois de ser empregado nas áreas da publicidade, medicina e, especialmente, nos jogos eletrônicos, a sétima arte é a mais recente aposta da Realidade Virtual .

No Festival de Tribeca, em Nova York, Laganaro exibiu sua primeira película em realidade virtual – Step to the Line – um documentário sobre o cotidiano de duas prisões de segurança máxima nos Estados Unidos. É um tipo de teletransporte para o interior da história. Tão extraordinário que até o Mark Zuckerberg partilhou o curta na sua página principal do Facebook como um dos melhores exemplos do que a Realidade Virtual promete realizar com a sétima arte.

No Festival De Cannes, o consagrado diretor Alejandro Iñárritu- de películas como O Regresso, Babel e Biutiful – inclusive expôs sua primeira experiência imersiva com o filme “Carne Y Arena”, uma obra em Realidade Virtual de seis minutos e meio acerca da questão global da imigração e das pessoas refugiadas.

A realidade virtual no cinema vai muito além dos vídeos 360 cada vez mais comuns em lugares como o YouTube e o próprio Facebook. A recente tendência está mexendo com a cabeça dos criadores e todo esse meio tão cheio de charme.

De que modo opera o cinema em realidade virtual?

realidede-virtual As pessoas utilizam um capacete RV, o que faz com que sua experiência seja extraordinária, ainda que os usuários acompanhem a mesma narrativa. São os seus movimentos que determinam o caminho a ser adotado no interior da narrativa.

Na realidade virtual , o espectador está totalmente rodeado pelo campo narrativo – o que causa um desafio bem maior nas filmagens, visto que câmeras e operadores devem se disfarçar em meio ao local de filmagem, a fim de que não sejam vistos durante a própria narrativa. A imersão proporcionada amplia a afinidade ao que acontece, de maneira que o espectador se sinta mais perto dos personagens e seus pensamentos. Não a toa, vários se referem ao RV como “fornecedor de situações”.

Uma questão fundamental pré-definida na estória implementada é se o corpo do espectador está presente ou não no mundo em RV – ou seja, se ele só observa ou inclusive está presente naquele cenário, existindo a hipótese de ser notado. A interatividade com personagens e objetos é o grande desafio, de forma a sincronizar ações diversas e até mesmo ver seu próprio corpo – coisa que, ainda, possui limitações técnicas.

O primeiro cinema de realidade virtual no mundo

primeiro-cinema-realidede-virtual A empresa “samhoud Media” fundou o “The Virtual Reality Cinema”: o primeiro espaço permanente do planeta na qual, em vez de uma tela enorme de cinema, os visitantes são convidados a trajar um conjunto de realidade virtual – com direito a óculos e headphones.

Encontrado em Amsterdã, nos Países Baixos, o local conta com cinquenta Samsung Gear VR aliados com os smartphones Samsung Galaxy S6 – escolhidos por não contarem com cabos excessivos e permitirem uma locomoção mais amplo – além de assentos que giram 360º para assegurar a mais adequada experiência possível. Para a parte do som, são mais cinquenta headphones Sennheiser.

Cada sessão tem meia hora e é composta por conteúdos estritamente criados para a tecnologia de realidade virtual, como botar você no meio do palco ao longo de uma apresentação do U2 ou voar por cima de uma cidade de helicóptero.

Películas em Realidade Virtual chegam ao Brasil

Nos festivais

O Festival Varilux de Cinema Francês 2017 vai oferecer uma Mostra de filmes franceses com tecnologia de realidade virtual. É a primeira vez que um evento no Brasil dedica uma seleção própria a este gênero, que acaba de ingressar inclusive no Festival de Cannes no ano de 2017 com uma película de Alejandro Gonzalez Iñarritu, “Carne e Areia”.

A mostra vai contar com 8 obras em trezentos e sessenta graus os quais experimentam a potencialidade da realidade virtual em inúmeros gêneros como ação, ficção, animações e documentários, todas elas foram produzidas por líderes em inovação audiovisual na França. As obras serão apresentadas de graça ao público paulista e carioca. As apresentações, efetuadas em assentos giratórios e com óculos de realidade virtual, acontecem entre 6 e 18 de junho em São Paulo e de nove a dezoito do mês de Junho na cidade do Rio de Janeiro.

A escolha será acompanhada pelo Michel Reilhac, curador de quatro obras “Best-of da criação independente de realidade virtual da França” o qual participa de palestras em São Paulo e na cidade do Rio de Janeiro. Profissional consagrado no território europeu, sendo o recente diretor do Submarine Channel na cidade de Amsterdã. Reilhac se define como “arquiteto de histórias interativas”.

Reilhac acredita que paulatinamente a tecnologia da realidade virtual tornar-se-á um novo segmento. “O meu desejo é que aprendamos apressadamente como a realidade virtual pode ser uma maneira fantástica de compartilhar experiências as quais não seriam realizáveis na realidade, porém não como uma substituição de todas as coisas que não somos capazes de fazer fisicamente”, diz Reilhac.

Em cinemas

Os principais shoppings da cidade de Belo Horizonte vão abrigar o Cine Virtual, um programa ainda inédito em território brasileiro de cinemas em realidade virtual. Diferente de uma sala de cinema tradicional, a ideia é que os clientes se sentem em uma cadeira giratória, com um óculos especial e headphones conectados a um aparelho celular.

Ao invés de ficarem parados vendo a uma projeção em tela, as pessoas podem girar em seus assentos para seguir as filmagens em 360 graus. Segundo Guto Aeraphe, criador do projeto, o Cine Virtual é similar ao primeiro cinema com realidade virtual do mundo, inaugurado em março na cidade de Amsterdã, nos Países Baixos. Lá fora as entradas custam, mais ou menos, € 12, 50. No Brasil, a exibição irá sair por R$ 10, com duração média de 10 minutos.

No último final de semana, a cidade de Divinópolis obteve uma apresentação desta experiência. A iniciativa é fruto de uma parceria do Canal Webseriados.tv e da produtora Cinemarketing Filmes. Também há expectativas de que outras salas de realidade virtual sejam abertas em território brasileiro. Os conteúdos dessas novas salas serão produzidos especificamente para essa tecnologia.

Entrevista com o diretor de cinema e webséries Guto Aeraphe

Guto Aeraphe, central responsável pelo desenvolvimento do Cine Virtual, revela que a ideia é que este projeto seja em diversos lugares diferentes, inclusive com mostras de filmes a céu aberto. Especialista em narrativa transmídia e branded content, ele trabalha com audiovisual desde 1997 e estabelece que a iniciativa não irá concorrer com a programação das salas de apresentação dos cinemas convencionais. No bate-papo abaixo, Aeraphe fala mais detalhes sobre esse projeto precursor e do primeiro filme interativo que está sendo produzido pelo canal Webseriados. televisão e a Cinemarketing Filmes:

1)Como surgiu a ideia Cine Virtual e quais são os desafios de criação de um cinema de realidade virtual no país?

Venho acompanhando essa nova tecnologia de captação de imagens há certo tempo e por isso comecei a sondar as diferenças entre a narrativa audiovisual convencional e a da criação em 360º e fiquei fascinado com as alternativas. O intrigante é que a questão da complicação de criação de uma cinematografia em realidade virtual não é tecnológica e sim conceitual. Anteriormente os espectadores deixavam o cinema falando “meu deus, eu amei aquela cena”. Nos dias de hoje, eles vão dizer “nossa, eu participei daquela cena”. Logo quem roteiriza e dirige películas tem que deixar para trás aquela antiga questão acerca de onde pôr a câmera no set, para tentar responder a esta nova que é onde colocar o espectador na cena. Esse é o ponto.

2) O Cine Virtual tem algum tipo de relação com o VR Cinema criado na Holanda?

Sem dúvida a decisão de criar um cinema de realidade virtual teve influência do VR Cinema, que como primeiro no planeta, se torna uma referência. Porém claro que a palavra final foi tomada logo após que realizamos uma pesquisa de mercado para analisar como o espectador do Brasil receberia. Foi averiguado que 87, 5% dos entrevistados não possuíam idéia da tecnologia e desses 90% receberam positivamente a experiência de assistir em 360 graus. Estamos chamando isto de fator “Uau! “, uma nomenclatura interna para se referir ao sentimento de quem tem contato inicial com o equipamento.

3) Qual é o tamanho da equipe envolvida com esse projeto?

Nosso grupo é reduzido, mas eficaz. Acreditamos que em poucos meses iremos ampliar ao passo que a demanda pelo serviço for aumentando, já que acreditamos bastante neste formato.

4) Você acredita que este será o futuro do entretenimento?

Talvez seja um pouco cedo dizer que esse tipo de entretenimento competirá com igualdade com as salas de cinema, porém, em se tratando de tecnologia colaborativa, que pessoa arriscaria uma previsão?

5) Quando exatamente conseguiremos ver esse projeto funcionando esse ano e por que Belo Horizonte foi a cidade eleita para seu lançamento?

Estamos na etapa introdutória da montagem do empreendimento e supomos que iremos colocar tudo em movimento em julho, para usufruir a programação de férias dos shoppings. Como bom mineiro, não poderia deixar de prestigiar a nossa capital e realizar a estreia em Belo Horizonte.

6) Vamos ter mostras itinerantes pelo restante do país?

A estrutura foi pensada para ser itinerante, sendo tranquilamente mudada de um local para outro, possibilitando que possamos levá-la para eventos abertos como os eventos de cinema que acontecem em todo o Brasil.

7) Quais são os shoppings da capital mineira que vão abrigar esta iniciativa e de que forma o Cine Virtual concorre com a programação dos cinemas convencionais?

Ainda estamos fechando os prováveis lugares das primeiras exibições, porém sou capaz de afirmar que o Cine Virtual não disputa com as exibições tradicionais. Particularmente por causa de suas características é uma outra forma de divertimento. Os filmes são reduzidos, com praticamente 10 minutos e a experiência é mais acentuada e interativa.

8) Ele terá um lugar com capacidade para quantas pessoas ao mesmo tempo?

Irão ser montados de 6 a 10 aparelhos que irão funcionar ao longo de todo o horário normal de trabalho dos shoppings.

9) Hoje temos diversas tecnologias diferenciadas envolvidas com simuladores de realidade. O Cine Virtual utilizará um óculos especial para imersão dos espectadores, este dispositivo vai ser um Oculus Rift, Samsung Gear VR ou Cardboard?

Ainda estamos negociando contratos de parceria com relação às tecnologias empregadas e devido a isso não somos capazes de falar quais os aparelhos serão utilizados, contudo, sem dúvida, serão de qualidade.

10) Fale mais com relação ao processo de criação do primeiro filme interativo que está sendo desenvolvido pelo canal Webseriados. tv e a Cinemarketing Filmes.

Estamos já em fase de pré-produção do filme que será exibido no lançamento. É um thriller, recheado de suspense com boas pontas de terror. Na nossa pesquisa, mais de sessenta por cento do público solicitou esse padrão de filme. Trata-se da perseguição a um serial killer que está atacando nas redes sociais. E o grande diferencial é que o filme será interativo e haverá a chance de três finais diferentes. Sem dúvida cada pessoa que tiver a chance de assistir ao filme terá uma experiência única.

Liga da Justiça e Aquaman em Realidade Virtual

liga-da-justica A Imax mantém seu movimento para a realidade virtual, mencionando um acordo de co-financiamento e produção com a “Warner Bros. Home Entertainment”, através do qual desenvolverão e lançarão três experiências VR baseadas nos filmes da Liga da Justiça, Aquaman e outro título até agora não divulgado.

As companhias visam lançar uma experiência todo ano – iniciando com Liga da Justiça VR no final de 2017 – com uma janela exclusiva em sites de VR baseados em posicionamento da Imax antes de tornar o filme disponível para outras plataformas de VR.

Imax está iniciando a lançar VR baseado em posicionamento através de “pods” os quais seriam postos em salas de cinema e outros espaços públicos. O primeiro site de testes é o Centro de Experiência VR, perto de The Grove, em Los Angeles, com cinco novos conjuntos abertos em Nova York, Califórnia, Reino Unido e Xangai nos próximos meses. Se for bem sucedido, a intenção é lançar o conceito globalmente a fim de selecionar multiplexes, bem como lugares comerciais, como centros comerciais e destinos turísticos.

“Acreditamos que capitalizar os personagens da Liga da Justiça e Aquaman de nossas bem famosas propriedades da DC vai expandir o apelo dessa tecnologia de acelerado engrandecimento”, acrescentou Ron Sanders, presidente da “Warner Bros Worldwide Entertainment Distribution”.

A Imax já assinou contratos de conteúdo VR com o Skydance de David Ellison e a desenvolvedora de games Ubisoft. Parte deste conteúdo pode cobrir o uso de controladores de movimento, coletes hápticos ou poltronas equilibrados por deslocamento de D-Box nos locais da Imax.

Fone de Ouvido Tradutor – Tecnologia Inovadora

O fone de ouvido tradutor é bem aproveitável para passeios, compreender línguas novas e ainda mesmo fazer amizade com estrangeiros. Esta tecnologia que apareceu recentemente tem conquistado cada vez mais investimentos já que promete acabar de uma vez por todas com as barreiras do idioma e unir muito mais o mundo. Apesar destes aparelhos possuírem um objetivo em comum, cada exemplar possui características únicas. Veja algumas delas em seguida:

Pixel Bud: o fone de ouvido tradutor da Google

fone-de-ouvido-google Chega das barreiras idiomáticas! Quem jamais ficou abalado na hora de falar a língua inglesa ou qualquer outro idioma numa viagem ou uma mera conversa com estrangeiros? Esta dificuldade, que sempre foi capaz de ser derrotada com ânimo com o intuito de se fazer entender e para entender o outro, nesta ocasião também é capaz de ser superada com o auxílio de um recente lançamento do Google: um fone de ouvido tradutor chamado”Pixel Bud”, que traduz quarenta idiomas instantaneamente pela internet, por conseguinte é necessária uma conexão invariável para usar essa função. O fone funciona com uma bateria que tem durabilidade de cerca de 5 horas.

Eles operam em conjunto com os recentes tipos de telefones celulares anunciados pela Google, o Pixel 2 e Pixel Dois XL ou outros aparelhos que possuem as versões mais recentes do Android.

“É como se você portasse seu próprio tradutor particular em qualquer lugar que você andar. Digamos que você encontra-se em Little Italy (EUA), e você deseja pedir seu macarrão como um especialista. Tudo o que você necessita fazer é pressionar o botão direito e dizer: “Auxilie-me a falar italiano”, diz a Google no site oficial.

O acessório – o qual pode ser transportado em uma case que cabe em qualquer bolso – assegura além de vinte e quatro horas de reprodução uma boa qualidade sonora com graves acentuados e pareamento mais simples.

O Pixel Bud esteve em pré-venda nos Estados Unidos com um preço de $159 dólares estadunienses, o equivalente por volta de 500 reais. No mês de novembro o dispositivo deve chegar ao Canadá, Grã-bretanha, Alemanha, Austrália e Cingapura.

Com o Pixel Buds, o Google instaura no mercado um item para competir com o similar Airpods, da Apple. A vantagem dos fones do Google, no entanto, é a conexão com o software de tradução, coisa que ainda não acontece no fone de ouvido tradutor da rival. Em contrapartida, a tarefa de tradução não é única do seu produto. A companhia da Alemanha Bragi, implantada em 2013, lançou uma variante mais desenvolvida do seu fone de ouvido tradutor, denominado Dash Pro, este equipado com a aplicação de tradução simultânea mediante o aplicativo iTranslate, presente no iPhone.

One2One

Se você acha que as soluções da Google para tradução entre diferentes idiomas já são surpreendentes, se prepare para ver uma autêntica mágica tecnológica na forma de gadget infestar este território. Chamado de Translate One2One, o dispositivo desenvolvido por uma pequena startup australiana é um fone de ouvido que traduz de forma automática – e praticamente em tempo real – frases e conversas ouvidas por você em até oito idiomas diferentes.

Ao passo que a Grandiosa das Procuras dá uma mãozinha com línguas estrangeiras através de portais, apps e até câmeras que traduzem textos de forma surpreendentemente rápida, a Lingmo submeteu-se aos benefícios do Watson para conduzir as palavras até os seus ouvidos. Utilizando a API de reconhecimento natural de linguagem da plataforma cognitiva da IBM, a empresa desenvolveu um invento relativamente pequeno e que tem capacidade de fazer seu ofício em torno de três a cinco segundos. O melhor? Tudo sem depender de WiFi, Bluetooth ou até mesmo do seu Smartphone.

Atualmente, o objeto – que pode ser trajado como um headset esportivo tradicional – entende inglês, japonês, francês, italiano, espanhol, alemão, chinês e, claro, o nosso português do Brasil. Tudo muito bacana, mas até então aparenta alguma coisa vindo de filmes e livros de ficção científica, certo? Nada disso! Afinal de contas, não estamos falando de um modelo único ou de um empreendimento marcado para 2020, mas sim de um produto que começa a ser comercializado muito em breve.

Caso tudo dê certo, a ideia é que o Translate One2One seja fornecido a partir de julho, por meio do site da Lingmo, por um custo padrão de US$ 179 – cerca de R$ 592 em conversão direta e sem somar impostos e taxa de entrega. Vale perceber que a startup não é a única a trabalhar num equipamento como esse, uma vez que, mais no início do ano, ao longo da MWC 2017, a Waverly Labs expôs um produto semelhante a este. O Pilot, no entanto, não tem perspectiva de lançamento nem o suporte na mesma quantidade de idiomas do gadget da Austrália.

WT2

fone-de-ouvido-wt2 O WT2 é um tradutor móvel simultânea que inclui 2 headphones, 1 software e uma capa de cobrança personalizada. Os headphones oferecem diálogo de linguagem estrangeira a extenso prazo, mãos livres, proporcionando que você afunde na cultura local no mesmo momento em que viaja, se expressa mais completamente e estabelece conexões mais significativas com as pessoas que conhece.
Nosso WT2 é o primeiro e único sistema de tradução “1 + 2” do planeta. Isso quer dizer que, ao oposto de outras soluções, nossa tecnologia patenteada admite uma conversa de voz multiplexada entre ambos conversores de fone de ouvido tradutor WT2 e um único telefone com o app WT2, propiciando uma experiência de comunicação confortável para o cliente.

Esse software integra tecnologia de comunicação sem fio, algoritmos sagazes, tradução de voz e inúmeras outras tecnologias num singular pacote. Ao usar “1 +2”, pode-se conversar de forma fácil com qualquer pessoa, independentemente do idioma falado, e sem fases de configuração incomuns.

“1 + 2” é a chave para romper as barreiras da comunicação ao redor do planeta, possibilitando que você converse facilmente com gente nova sem ter que se incomodar em pedir que façam download de um software em seu próprio smartphone antes – só passe um fone de ouvido tradutor e comece a ter uma conversa verdadeira! Com o WT2, o contato visual completo e a linguagem natural do corpo são conservados, permitindo que você não somente converse com outras pessoas em múltiplos idiomas, mas também as compreenda.

Ótimo para fãs da viagem, refugiados, estudantes de famílias, famílias interculturais, lojas internacionais, hotéis e todos no meio. O WT2 é capaz de auxiliar a transformar sua experiência de viagem mais agradável e aprimorar sua eficácia de comunicação com compradores estrangeiros ou sócios.

Tudo Sobre Inteligência Articial

Inteligência artificial (algumas vezes classificada pela abreviatura em português IA ou pela abreviatura em inglês AI – artificial intelligence) é a inteligência semelhante à humana expostas por dispositivos ou programa. Ainda é um campo de estudo acadêmico. Os respeitáveis cientistas e livros didáticos definem o campo como “o estudo e programa de agentes inteligentes”, onde um agente inteligente é um sistema que percebe seu habitat e toma medidas que potencializam suas chances de êxito. John McCarthy, quem inventou o termo em 1956 (“numa conferência de estudiosos celebrada em Darmouth Colege” Gubern, Román: O Eros Eletrónico), a define como “a ciência e engenharia de criar aparelhos inteligentes”. É uma área de pesquisa da computação aplicada a encontrar métodos ou recursos computacionais que tenham ou multipliquem a eficácia racionável do indivíduo de solucionar complicações, refletir ou, de forma ampla, ser sagaz. Inclusive pode ser determinado como o ramo da ciência da computação que se ocupa do hábito inteligente ou ainda, o estudo de como fazer os pcs efetuarem coisas que, recentemente, os indivíduos fazem melhor. Confira certas coisas que esses pcs inteligentes conseguem fazer:

Inteligência Artificial na escrita de livros

inteligencia-artificial Não é mais novidade para nenhuma pessoa que Game of Thrones é um fenômeno, todavia o fato de a história não ter sido terminada nos livros que motivaram a série, acarreta uma determinada angústia em muitas pessoas – e uma finalização da saga provavelmente sairá só em 2019.
Então, já que George R. R. Martin não manifesta sinais de que a conclusão da aventura em molde escrito irá sair tão cedo, um engenheiro de software chamado Zack Thoutt decidiu desenvolver uma IA para escrever o sexto livro.
Thoutt veio alimentando a rede neural recorrente com as quase 5 mil páginas dos livros anteriores de Martin e instruiu o algoritmo a adivinhar o que pode ser que aconteça no futuro.
Apesar da criação de Thoutt tenha conseguido seguir certas estruturas que o próprio George R. R. Martin usou em seus livros, ela ainda não é impecável, cometendo erros de gramática e podendo usar somente a estrutura resumida da linguagem – o que é capaz de ser considerado como um alívio para os autores de plantão.

IA no reconhecimento de vozes

Um novo recorde foi apresentado pela Microsoft em comparação ao seu sistema de verificação de voz: a plataforma é capaz de compreender quase tudo o que capta por meio de diálogo, falhando em apenas Cinco, 1% das chances. O valor é mais baixo acerca do atingido em 2016, que não assimilava 5, 9% das descrições recebidas.
Para executar esses testes, um agrupamento de registros de diálogos telefônicas foi empregado. Chamado Switchboard, esta plataforma é a mesma usada desde os anos 1990 para efetivar testes padronizados em sistemas de verificação de fala. A melhoria mostrada em relação ao ano passado deve-se a variações no sistema de modelos acústicos e de língua com base em rede neural.
A Microsoft conquista um marco fundamental para o futuro dessa inovação – agora, as máquinas têm chance de nos interpretar (pelo menos literalmente) tanto quanto as demais pessoas.

Inteligência Artificial já avalia restaurantes

Antes de ir conhecer um local, como por exemplo, um restaurante, você é um dos clientes que buscam opiniões em sites como TripAdvisor ou Yelp para saber como irá ser a sua experiência? Então, é bem melhor começar a ter maior atenção ao ler esse perfil de opinião.
Pesquisadores da Universidade de Chicago começaram a treinar uma rede neural de inteligência artificial que tem a chance de causar falsas análises focadas nestes sites. Porém enganam-se quem acredita que as respostas são malfeitas ou “robóticas” demasiadamente, uma vez que elas são projetadas para ser bastante convincentes!
Para ser capaz de corroborar se as concepções geradas pelas redes neurais eram convincentes, os estudiosos dividiram 5 avaliações falsas e repartiram para determinadas equipes. Os requisitados deveriam afirmar se julgavam que os comentários eram verdadeiros ou não e se eram úteis.
Como resultado, os interrogados revelaram que as análises falsas eram “irreconhecíveis” e difíceis de diferenciar das reais, ou seja, se passavam como verdadeiras.
Incontestavelmente, as críticas falsas geradas pela inteligência artificial não são exatas. Mas, se as redes neurais do sistema forem exploradas a fundo, elas podem aprimorar a maneira de se construir os textos hipotéticos, desvalorizando a autenticidade das palavras publicadas em sites desse estilo.

IA aplicada no reconhecimento de objetos em fotografias

inteligencia-artificial Inteligência artificial (IA) ainda é uma área em que a humanidade engatinha para progredir. Embora, sistemas inteligentes já são empregados para diversas atividades, principalmente para reconhecer itens em fotografias e compreender o que de fato está acontecendo em cada quadro. A Google opera com inteligência artificial nessa linha e, recentemente, resolveu mudar o método de compreensão da sua “Rede Neural Artificial”.
A inversão do processo de entendimento foi fundamentalmente dar um conceito pronto para este programa e ver a figura que ele seria capaz de resultar na partir disso. Os produtos mais importantes desta experiência foram conhecidos como “sonhos”, a partir do momento que figuras completamente originais surgiram.

Inteligência Artificial no manejo dos aeronaves de guerra

Segundo divulgado pela University of Cincinnati, um programa de inteligência artificial de batalha desenvolvido pela firma UC offshoot Psibernetix, Inc. é preparado para derrotar até mesmo os pilotos mais especialistas da USAF (Força Aérea dos Estados Unidos, na sigla em inglês).
O algoritmo, apelidado ALPHA, foi inserido em um simulador de última concepção para enfrentar diversos pilotos habilitados. Um dos opositores mais resistentes foi Coronel Gene Lee, que nos dias de hoje trabalha como instrutor e tem lutado contra dezenas de sistemas de IA desde a década de 80. Apesar da extensa experiência e habilidade em guerras aéreas, Lee não pode lidar com as respostas quase perfeitas da máquina, encontrando-se fracassado em qualquer uma das tentativas.
“Estive surpreso com o quão ciente e reativo ele [o computador] foi. [Ele] Aparentava estar ciente das minhas intenções e reagia de imediato às minhas mudanças no voo e aos meus mísseis. Ele sabia como vencer a artimanha que eu estava executando. Ele alternou instantaneamente entre as ações defensivas e ofensivas, conforme necessário”, relatou o educador.

Inteligência Artificial utilizada no terreno dos sonhos

Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), dos Estados unidos da américa, desenvolveu uma inteligência artificial para monitorar o sono. A sua principal aplicação é detectar as frequências de rádio enviadas por uma pessoa enquanto ela dorme, entretanto a tecnologia é capaz até mesmo de pressupor o momento que alguém está sonhando, tudo por meio da checagem da ação cerebral.
O objetivo definitivo desta tecnologia é facilitar e deixar mais preciso o diagnósticos de doenças do sono. Além de suas capacidades desenvolvidas, seu principal trunfo é dispensar aqueles inúmeros plugues que tem de ser pregados em exames que analisam o sono. E isto em razão do algoritmo criado pelos pesquisadores, capaz de traduzir em sinais de rádios todas as fases do sono – leve, intenso e deslocamento acelerado dos olhos.
Em resumo, a idéia é produzir um equipamento capacitado para supervisionar rotinas diárias e a saúde de pacientes de maneira contínua e discreta, sem que algo necessite ser fixado ao corpo ou estabelecida ação expressa tenha que ser tomada. Com isso, os diagnósticos conseguem ganhar em precisão não apenas pela fartura de dados coletados, mas pela facilidade com que isso é realizado.

Inteligência Artificial converte áudios em vídeos realistas

Cientistas norte-americanos inventaram uma forma de fazer com que arquivos de áudio se transformem em vídeos – tão realistas quanto uma gravação original seria. Para isto é imprescindível somente um áudio autêntica e, logo após,
apenas é deixar na mão do robô, que faz todo o trabalho duro de lip-sync (mecanismo de dublagem que leva em conta o movimento da boca do personagem no objetivo de sincronizar este com a voz, dando uma impressão mais real ao espectador).
De acordo com os cientistas, a técnica pode ser a efetiva salvação das conversas por vídeo à distância, que passariam a operar às mil maravilhas mesmo com uma rede não muito favorável. “Quando você utiliza o Skype ou o Google Hangouts, podem acontecer de a conexão estar afetada e deixar a imagem em baixa definição – e o áudio se manter com boa qualidade”, diz Seitz. “Então, você poder utilizar o áudio ótimo para criar um vídeo de qualificação muito superior, . Iria ser fascinante”, encerra.

IA revolucionando o futebol

A noção de uma distopia na qual as máquinas inteligentes aprendem tarefas humanas e decidem colocar um fim à nossa vivência, tão habitual na literatura e no cinema de ficção científica, volta e meia aparenta apenas questão de tempo. Mais uma confirmação disto vem do DeepLoco, um software de computador criado na Universidade da Colúmbia Inglesa, nos Estados unidos da américa, e que conseguiu aprender sozinho uma coleção de realizações.
O sistema operacional sagaz utiliza conhecimento de máquina e foi desenvolvido precisamente para desenvolver habilidades por conta própria. Desta forma, ele descobriu como andar e correr em campo aberto ou entre obstáculos, precisamente como aprendeu a jogar futebol – ou ao menos a transportar a bola com os pés.
O DeepLoco pode oferecer uma contribuição bastante intrigante ao desenvolvimento de jogos no futuro.

Inteligência Artificial contra a mentira

inteligencia-artificial É viável descobrir as intenções de uma pessoa ou se ela está fingindo somente verificando suas expressões faciais. Agora, uma startup quer levar o conceito a um novo nível com um novo sistema de inteligência artificial.
A proposta da Silver Logic Labs (SLL) é bastante ousada nesse sentido. Enquanto as demais firmas utilizam IA para analisar fatos diversos numa agilidade espantosa, a companhia em questão deseja desvendar os segredos das emoções humanas a fim de que essas descrições consigam ser usadas para aperfeiçoar experiências e produtos voltados ao comprador.
Segundo Jerimiah Hamon, CEO da SLL, um dos usos práticos desse tipo de algoritmo é a análise concreta junto ao usuário de uma forma bem mais específica e autêntica do que uma entrevista ou o preenchimento de um formulário – afinal, todo homem mente, como diria o Dr. House. Com essa análise tecnológica fica mais simples decidir se definida passagem de um filme ou propaganda resulta no sentimento que seus autores aspiravam despertar no público ou se vale a pena regravar tudo ou alterar o tom da produção para que a mensagem seja favorável com relação ao material.
A IA já consegue prever as taxas de audiência com uma eficácia mínima de 89% O emprego desse tipo de instrumento no mercado de TVs, como por exemplo, é capaz de resultar num número bastante inferior de cancelamentos após ou durante o primeiro ano de uma série, uma vez que as sessões de exibição junto a um público de testes ofereceriam descrições importantes e explícitas a fim de que a produção houvesse mais possibilidades de êxito.

Inteligência Artificial já detecta pensamentos suicidas

Uma equipe de pesquisadores produziu um novo algoritmo capacitado para localizar pessoas com ideias suicidas, examinando alterações desenvolvidas no cérebro quando os pacientes pensam em conceitos associados ao autoextermínio, como “morte”, “atrocidade” e “problemas”. A inteligência artificial, produzida por especialistas norte-americanos, foi detalhada numa pesquisa anunciada nessa segunda na revista científica Nature. De acordo com a divulgação, o autoextermínio é a segunda causa de morte entre os adultos jovens nos Estados Unidos e o estudo fornece um novo ponto para poder analisar a confusão psiquiátrica. “Adquirimos uma janela para o cérebro e para a mente, esclarecendo como as pessoas com pensamentos suicidas pensam sobre conceitos associados com o autoextermínio e as emoções”, afirmou Marcel Just, instrutor de psicologia da Universidade Carnegie Mellon, nos EUA. “O que é primordial neste novo estudo é que podemos dizer se alguma pessoa está pensando em se suicidar pela maneira como pensa sobre questões associados com a morte. ”
O software pôde apontar com 91% de exatidão se um integrante pertencia ao grupo de pessoas com tendências suicidas. Os estudiosos inclusive produziram um teste similiar para definir se o algoritmo poderia detectar os que tinham tentado autoextermínio. O software teve 94% de precisão “Isto poderia dar para os doutores, no futuro, uma forma de identificar, supervisionar e, quem sabe, interceder nesse ponto de vista alterado e desvirtuado que representa as pessoas suicidas”, comunicou David Brent, do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Pittsburgh, ainda nos EUA.

IA na área de advogacia

No futuro, ao invés de pagar horrores por um esplêndido advogado, é muito provável que você possa contar com a contribuição judiciária de um robô para solucionar problemas de baixa complexidade. Depois de aparecer no website estrangeiro VentureBeat, o DoNotPay – um chatbot originado pelo programador Joshua Browder – está fazendo um êxito absurdo na internet.
O porquê? Ele é uma espécie de advogado cibernético e já ganhou mais de 160 mil contestações nas duas regiões onde está ativado (Reino Unido e Nova York). Sua especialização é amparar motoristas multados por permanecer em lugar proibido – o processo de contestação normalmente não é demasiadamente difícil, mas trabalhoso, uma vez que é fundamental preencher uma sucessão de formulários e encaminhá-los para a corte mais próxima.
O DoNotPay, sendo um chatbot, pode resolver este aborrecimento de forma mais intuitiva. Basta dialogar com o robô e ir respondendo às indagações que ele faz. No fim, o próprio advogado eletrônico fornece um documento finalizado que o cidadão pode relatar para negar a multa. Browder teve a noção de criar o auxiliadordevidamente
por ter levado TRINTA multas injustas em Londres ao longo de 18 anos.

 

Inteligência Artificial na criação de itens de moda

A Amazon, instituição gigante do varejo na internet, está focalizando esforços em modernizações que usem e abusem de inteligência artificial. Todavia, na nova empreitada da firma, as máquinas vão ajudar na busca pela próxima tendência no planeta da moda.
Você deve estar se questionando de que modo funciona essa inovação. Bem, um algoritmo é empregado para aprender sobre um estilo específico. Daí em diante, baseando-se nos resultados, o software é capaz de gerar artigos fashion a partir do nada!
A inteligência artificial da Amazon pode não causar a próxima concorrente plena das marcas de estilo, como Chanel, Dior, Fendi e Louis Vuitton – ao menos por enquanto, a partir do momento que ainda pode demorar até que as máquinas ditem tendências.
Este, por enquanto, é só um experimento, exposto em um workshop planejado pela Amazon, nos Estados Unidos. Apesar disso, alguns testes da companhia neste ramo já foram realizados, como a câmera Echo Look, que utiliza a assistente Alexa a fim de oferecer sugestões de estilo baseadas nas suas roupas.

Inteligência Artificial na identificação de tatuagens

Os desenvolvedores do programa Tattoodo pretendiam oferecer um passo a mais nas funcionalidades e decidiram instruir um sistema de inteligência artificial a entender as tatuagens vistas através da câmera de um iPhone.
Usando uma estrutura de deep learning(um setor de aprendizagem de robô) chamada Caffe, Dennis Micky Jensen e Goran Vuksic produziram uma rede neural que aprendeu a categorizar as características das artes feitas nas peles das pessoas: se é uma tatuagem geométrica, ou aquarela, ou japonesa e coisas do modelo.
Logo depois de terminado, o programa foi capacitado para fazer a identificação com uma exatidão admirável. A inteligência artificial ainda não atingiu à versão final do app, é aguardado que a função seja executada no futuro.
“Antes de usarmos isso no app, almejamos usar esse tipo para especificar o resto de nossas imagens. Possuímos 360 mil fotos e um pouco mais de cem mil estão categorizadas (as que foram usadas para treinar a rede neural). A IA vai nos auxiliar a agrupar as que restaram e isso é bastante relevante para nós porque, baseados nisso, somos capazes de exibir aos usuários feeds individualizados dependendo do estilo que eles prefiram, os artistas que eles seguem, no que o artista é especializado, etc”, esclareceu Vuksic ao TheNext Web.

IA na música

Taryn Southern, uma artista americana relativamente conhecida no YouTube e que fez parte de um show de caça talentos em 2000, informou que está gerando um álbum inteiro com programas de inteligência artificial. Ela também já divulgou o vídeo da sua primeira faixa no YouTube e em outras plataformas de streaming. A canção se denomina “Break Free” e conta com um aspecto um tanto épico, de certa música que faz parte da trilha sonora de um filme de aventura.
Em uma declaração ao The Verge, Southern contou que resolveu brincar com certas aplicações gratuitas que permitiam construir músicas a partir de inteligência artificial usando uma grande diversidade de instrumentos e se maravilhou com os resultados que alcançou. Depois disto, ela decidiu que devia fazer um álbum inteiro usando softwares como Amper. O “I AM IA” será o primeiro disco totalmente constituído em um programa de inteligência artificial.

IA na edição de vídeos esportivos

Resultado de imagem para ARTIFICIAL INTELLIGENCEA IBM(uma empresa dos Estados Unidos voltada para a área de informática) resolveu adicionar algumas recentes ferramentas à sua base intelectiva, fazendo com que o sistema consiga desempenhar funcionalidades criativas. Com isso, como por exemplo, ele já consegue escolher as jogadas mais interessantes de um jogo de tênis para criar um vídeo de melhores momentos.
A inovação vem sendo chamada pela empresa de Watson Media, uma suíte de mecanismos que usa a inteligência artificial para observar, entre outras coisas, a animação do auditório durante eventos esportivos.
Enquanto o mais veloz dos profissionais de vídeo carece de certo tempo para conferir as imagens do jogo e resolver o que entra ou não nas compilações de highlights(partes mais primordiais de algum evento), o Watson realiza isto em poucos minutos. Além da interação da torcida, o software também leva em conta a movimentação dos esportistas e sua expressão facial antes de fazer o recorte e gerar todo o material.

Inteligência Artificial pilotando planadores

A nova missão da equipe Microsoft Research já está em fase de testes. Este programa tinha como objetivo criar um agente de inteligência artificial que controla um planador para que ele se conserve no ar o máximo de tempo possível, gastando o o mínimo possível de energia.
A inovação se baseia em leituras dos padrões de ar, planejando constantemente uma rota para frente procurando locais de ar quente ascendente a fim de que a aeronave permaneça no ar. Ashish Kapoor, cientista principal da equipe, assegura que “as aves fazem isto plenamente, e tudo que estão fazendo é aproveitar a natureza. E elas executam isto com um cérebro de tamanho de amendoim”.
Essa inovação vai poder auxiliar diversas áreas, como o acompanhamento dos padrões climáticos e o monitoramento de culturas agrícolas, ou inclusive levar internet para locais de complicado acesso.
A equipe assegura que é viável acrescentar, nas aeronaves, energia solar ou eólica, tornando a auto-suficiência da aeronave praticamente infinita. Não há previsão de lançamento para o mercado comum, apesar disso, na velocidade com que a tecnologia anda, provavelmente não vamos aguardar por muito tempo.

Inteligência Artificial criando uma língua própria

Em seguida da inteligência artificial da Google ter criado sonhos próprios e totalmente singulares , chegou a vez dos bots do Facebook também efetivarem uma façanha. Segundo declarou o laboratório Facebook Artificial Intelligence Research (FAIR, ou Análise de Inteligência Artificial do Facebook), uma linguagem específica estava sendo criada pelos bots da plataforma e foi descoberta no decorrer de testes para melhorar o funcionamento deles.
Ocorreu da forma a seguir: para aumentar a capacidade de comunicação dos bots – também chamados de agentes de conversa, aqueles programas que conversam de forma automática com os homens mediante os chats do Messenger – os cientistas os puseram para dialogar entre si para aprender a forma com a qual dialogam quando são usados de verdade.
A parte impressionante é que, depois de um determinado intervalo de tempo de treinamento, a inteligência artificial passou a desenvolver – por conta própria – uma linguagem única que se desviava das normas planejadas originalmente. Isto fez com que os bots começassem a se comunicar por meio de um idioma completamente novo produzido por eles próprios.

IA descrevendo obras de arte

O Watson, a inteligência artificial da IBM, foi instruído para memorizar tudo sobre sete obras artísticas expostas na Pinacoteca de São Paulo. Com um app de iPhone, as pessoas puderam questionar naturalmente ao Watson e escutar respostas sobre obras artísticas exibidas no museu.
Ao mesmo tempo em que transmitia seu conhecimento sobre os quadros e obras, o produto da IBM a aumentava seu acervo de resultados para possíveis dúvidas. As sete mil variáveis de indagações se converteram em 40.000 após dois meses de exposição.

Drone – Câmeras, Funcionamento, Preços

Drone é um equipamento aéreo não pilotado e controlado remotamente que é capaz de fazer várias funções. Utilizados tanto em guerras quanto para entregar comida, estes equipamentos estão cada vez mais presentes em diversos ambientes do planeta.
drones É claro que os drones empregados na batalha são divergentes daqueles que a Amazon procurou usar com o objetivo de fazer entregas. Contudo esse tipo de aparelho, que foi “importado” da indústria de armamentos, vem ganhando cada vez mais funções dentro da comunidade, como por exemplo:
· São úteis no transporte e recolhimento de lixos, de materiais radioativos ou venenoso aos indivíduos.
· São úteis na vigilância de atividades militares e para lançamento de bomba. Existem registros do uso de drones em ações terroristas.
· São primordiais na área jornalística, para arquivar fatos perigosos e de larga escala, flagelos naturais como tsunamis e cataclismos, atividades terroristas, entre outros.
· São indispensáveis para quem trabalha com eventos, porque possibilita uma nova abordagem na filmagem e fotografias. Os drones, cada vez mais habituais, são capazes de até substituir os iPhones na tarefa de bater selfies, já que admite fotos incríveis de diversos enfoques.
· São indispensáveis nas entregas e devoluções de produtos, registros, comida, entre outros.
· Podem sobrevoar para o lugar que você desejar por meio do comando à distância e por meio da câmera interna, vai a lugares de difícil alcance e tira imagens de tirar o fôlego. Você ainda pode acompanhar a sua posição mediante a tecnologia de GPS.
· Podem efetuar tarefas de risco aos seres humanos, e inclusive tem resistência a condições extremas.

-O que considerar para obter o primeiro drone

-O objetivo do drone

primeiro-drone A primeira sugestão é determinar o motivo verdadeiro de desejar adquirir este veículo.
Se o seu propósito for o entretenimento, ou seja, tudo o que você quer é se divertir – então um pequeno quadcopter (uma aeronave que decola e é impulsionada por 4 motores) resolverá. Além do mais, existem opções bem boas e baratas nessa categoria.
Se as suas exigências estão na classe de fotografias ou imagens aéreas, você vai necessitar de um modelo mais desenvolvido, que seja capaz de tirar imagens HD, a grandes distâncias e de diferentes ângulos.
Se o que você tenciona é carregar equipamentos de trabalho ou outros utensílios, vai ter necessidade de um equipamento com capacidade de levantar voo com a carga e transportá-la até o alvo.
Drones que possuam o propósito de efetuar vigilância ou inspeção de segurança terão que ter a eficácia de trabalhar sob situações climáticas desfavoráveis.
Se você pretende clicar a “natureza selvagem”, tenha em mente que esse tipo de aparelho é bem caro – no entanto pode facilitar tremendamente a abordagem de animais, sem ser observado e resguardar a sua segurança.

-Câmeras, suportes de câmera e outros itens

Veículos utilizados para fotografia ou executar tomadas aéreas, são capazes de vir com câmera já agregada e pronta para uso.
Em geral, quando um drone já vem munido com uma câmera, ela pode servir a propósitos genéricos. Constate se as qualificações da câmera servem às suas necessidades.
O melhor é obter um drone com suporte de câmera – ou obter o suporte à parte – e acoplar a sua própria câmera a ele.
Outra sugestão é comprar um veículo com gimbal support, que pode preservar a câmera estável e livre da interferência de fatores externos, como os ventos.

-A bateria

Este é um dos pontos fundamentais em Drones. Um simples quadcopter é capaz de possibilitar, geralmente, de cinco a quinze minutos ininterruptos de diversão.
Uma bateria maior e de maior eficiência, pode manter o veículo no ar por mais de uma hora. Para utilização profissional/comercial, compre um aparelho cuja bateria seja capaz de ser recarregada depressa e que tenha uma capacidade acima de 60 minutos.

-Área de cobertura

A área de cobertura de um drone comum não costuma ser acima de cinquenta metros. Este número é suficiente para adquirir fotografias aéreas. Entretanto, há veículos mais avançados que podem cobrir áreas superiores a 100m. Esses podem ser mais específicos para fotografia da natureza selvagem ou para fazer entregas.

-Mercado de peças de recomposição

Como todo veículo, o Drone pode danificar, sofrer falhas.
Adquirir de um estabelecimento que forneça suporte e atendimento pós-venda, além de ter todas as peças úteis para restituir agravos é imprescindível – sobretudo se você estiver investindo um valor considerável de dinheiro no aparelho.

-Preços de Drones profissionais

drone-profissional É muito importante refletir no custo x benefício para você e o seu negócio. Sempre que falamos em obter aparelhos tecnológicos, recordamos que existem, essencialmente, mundos diferentes: aquilo que enxergamos e lemos nos sites de tecnologia acerca de lançamentos, e a nossa realidade de compra no Brasil, que envolve altos encargos, impostos e conversão entre moedas. Há dois principais modelos de drones profissionais no país:

-A série “Phantom” e outros modelos da DJI

Tratando estritamente de cada marca de drones que encontramos no Brasil, podemos falar da série dos Phantom da DJI, que são de menor tamanho e com excelente qualidade de captação de fotografias. Nessa série, temos o Phantom 3 Standard, o Advanced, o Professional e o recém lançado Phantom 4. Os 3 últimos têm capacidade suficiente para trabalhos profissionais, dado que suas câmeras possuem controles manuais e total acesso às funções da câmera ao longo do voo, como por exemplo, controle de ISO, abertura, resolução, obturador, controle de branco, modo de Foto, modo de Vídeo, entre outros. São inclusive capazes de registrar fotografias em formato RAW e, no caso dos modelos Phantom 3 Professional e Phantom 4, vídeos em 4k – 30fps.
Lançado atualmente, o Phantom 4 é a aposta da DJI como um drone eficiente e autônomo, já que é capaz de receber comandos para voar sozinho e contornar obstáculos, por meio da ajuda de duas câmeras na frente. Há ainda um ganho expressivo na bateria, aumentando o tempo de voo para 28 minutos, podendo alcançar uma velocidade de 70km/h. A câmera do Phantom 4 preservou o critério de qualidade do seu antecessor, o Phantom 3 Professional, com algumas mudanças sucintas.
Subindo na escala, temos o Inspire. Este já é inquestionavelmente um instrumento profissional. Os principais diferenciadores dele para os Phantons é a qualidade das câmeras (possui sensor e jogo de lentes). Ele por padrão vem com a câmera modelo x3, podendo ser trocada pela x5, o que propicia a substituição das lentes de modelo Micro Four Thirds. O Inspire também pode ser operado por dois usuários, no qual um é capaz de estar pilotando ao passo que outro concomitantemente pode filmar/fotografar. A câmera do Inspire é capaz de se mover em 360° (as dos Phantom somente enxergam para frente com quarenta e cinco graus de eixo vertical e pouco horizontal).

-3dr Solo e Yuneec

Concorrente dos Phantom 3 e 4 da DJI, o 3dr Solo é tido como um “smart drone” (em português, “drone esperto”) em função do seu processador avançado, que propicia reconhecer objetos e rostos. No entanto, o equipamento é personalizado particularmente para câmeras GoPro, o que limita as configurações de câmera, porém simultaneamente garante qualidade na captura das imagens, principalmente pela transmissão em “high definition” via streaming.
A linha de drones da Yuneec são mais aptas para uso profissional. Seus modelos têm câmeras avançadas, certos filmam em 4K. Outros modelos permitem o emprego da GoPro. Além disso, o modelo Typhoon Q500 tem uma das melhores câmeras, segundo pesquisadores.

-Valores de Drones baratos

drone-barato Há muitos tipos de Drones menos caros, no entanto de qualidade, que são destinados não apenas para entretenimento, mas também para filmagens curtas. Verifique dois destes modelos:

-SYMA X5C-1 EXPLORERS

O drone Syma X5C-1 Explorers é um dos mais baratos do mercado e conta com 4 pás, além de vir acompanhado de um controle remoto, baterias, carregador e cartão de memória, além da própria câmera incorporada no drone.
Com o Syma X5C-1 é possível tirar fotos e fazer vídeos em “high definition”, inversões de 360°, tudo num voo estável e seguro em função do giroscópio de seis eixos. O gadget possui um controle remoto com frequência de 2,4 GHz, várias luzes e pode ser empregado em espaços de fora ou de dentro.
O dispositivo é capaz de ser carregado via USB e o seu carregamento demora aproximadamente cem minutos para concluir-se, possuindo uma capacidade de voo de mais ou menos 7 minutos e um alcance de até cinquenta metros.

-Preço

SYMA X5C-1 EXPLORERS: A partir de 175, 00 reais

-PARROT AR. DRONE 2. 0 ELITE EDITION QUADRICOPTER

O Parrot AR. Drone 2. 0 traz conexão WiFi, uma câmera com resolução 720p que propicia filmagens em alta definição, além de melhorias na velocidade e na altura atingida. Além do mais, o drone permite gravações via USB ou diretamente no dispositivo móvel, com o compartilhamento online facilitado.
O “Director Mode” possibilita programar movimentos para o drone, que, acima de tudo, possui uma estabilidade aperfeiçoada. O aparelho é controlado através de um iPhone ou tablet e vem acompanhado de uma bateria, um carregador e uma película para impactos.

-Preço

PARROT AR. DRONE 2. 0 ELITE EDITION QUADRICOPTER: A partir de R$ 1140.00

Como funciona Bitcoin – Compras e Vendas

Bitcoin é uma moeda digital que abre a possibilidade de realizar em pagamentos eletrônicos a eficácia dos pagamentos com cédulas. Pagamentos com bitcoins são ligeiros, nada caros e sem intermediadores. Além de tudo, eles são capazes de ser efetuados para qualquer indivíduo, que encontre-se em qualquer parte do planeta, sem limite mínimo ou máximo de valor. Essa moeda virtual sugere um novo tipo financeiro sem administrações ou instituições financeiras. Todas as transações são praticadas de cliente para cliente.

– De que modo funciona?

bitcoin A moeda conta com um funcionamento complexo baseado em um conjunto de regras, em que os clientes são “responsáveis” pela administração do dinheiro virtual. Uma transação é uma transmissão de valor entre carteiras Bitcoin que é incluída na block chain (ferramenta que visa a descentralização como medida de proteção). Carteiras Bitcoin mantêm uma informação escondida intitulada chave privada ou semente, a qual é empregada para assinalar transferências, ofertando uma comprovação matemática alegando que elas originaram-se do proprietário da carteira. A assinatura inclusive salvaguarda que a transferência seja adulterada por qualquer um depois de emitida. Todas as transações são compartilhadas entre os usuários e normalmente começam a ser confirmadas pela Web nos próximos dez minutos, por meio de um procedimento chamado mineração.

– De que modo conquistar bitcoins?

– Usar sites ou jogar on-line

O bitcoin é partido em certas divisões. Uma delas é o Satoshi: um bitcoin é equiparado a 100 milhões de Satoshis. A maior parcela dos sites e serviços que oferecem Bitcoins de graça na verdade, oferecem o Satoshi. Descubra modos de se obter a moeda só empregando sites ou jogando games online.
Freebitco. in: é tipo uma loteria virtual. Ela te fornece de hora em hora um mínimo de 340 Satoshis, entretanto pode chegar ao máximo de quarenta e sete milhões de Satoshis distribuídos gratuitamente. Você também tem a oportunidade de multiplicar seus Bitcoins como em um jogo de cassino ou comprando bilhetes que serão sorteados.
777Bitco. in: também uma loteria que tem a capacidade de chegar a 11 milhões de Satoshis (na versão gratuita).
Boxbit: Você tem duas possibilidades para adivinhar entre dez caixas, onde está o maior prêmio com valor em bitcoins, que variam entre 18 a 181.818 Satoshis.
Paidbooks: Paga 150 Satoshis a cada 10 minutos para ficar lendo livros.
Bitvisitor: A cada 5 minutos, oferece um mínimo de duzentos e quarenta Satoshis se o usuário visitar 3 sites.

– Efetuar compras e vendas

Para adquirir Bitcoins é muito simples. Você realiza o login em sua conta em sites como o do Mercado Bitcoin, indica o valor em reais ou a porção de Bitcoins cobiçada para ter e aperta o botão “Comprar”. Para vender Bitcoins, é preciso ir até a tela principal do website e pressionar “Vender”. Digite a quantia de Bitcoins que deseja vender, e pronto, é somente finalizar a venda.

– Minerar

Expressa-se em ceder PC’s para manter a rede que administra a moeda ativa e ser contemplado com Bitcoins. O método de mineração consiste em decifrar sinais com valores criptografados emitidos pelo software. Estas emissões são séries de bits geradas pelo algoritmo do software, sendo conhecidos como “hashs”. Incluem equações matemáticas intensamente complexas. Quem for capaz de decifrar o código primeiro obtem uma determinada quantidade de Bitcoins. O “vitorioso” e os seus novos bitcoins são informados pelo seu nó aos outros para que todos autentiquem e compreendam que esses bitcons pertencem a esse minerador. Todas as transferências ficam arquivadas num grande banco de dados, que atua na forma de um livro de registros, chamado Blockchain, onde cada transferência é arquivada de forma cronológica e sequencial. Por conseguinte, a comprovação de cada transação procede de uma unanimidade de qualquer um dos nós, o que suspende e previne fraudes.

– Como investir em bitcoin?

bitcoin-como-ganhar A maneira mais fácil de investir na moeda é comprando e vendendo após a valoração do Bitcoin.
1- O primeiro passo é criar uma carteira de Bitcoin virtual. Como o nome já indica, a sua carteira é uma conta virtual que facilita todos os modelos de transação, como comprar, armazenar e vender BTC. Pense nela como a sua conta de banco. Porém, ao contrário de toda a burocracia precisa para abrir uma conta em um banco físico, abrir uma carteira de BTC não dura 1 minuto e o procedimento é capaz de ser feito todo em rede.
Os sites Coinbase.com, Coinmkt.com e Blockchain.info são carteiras com boa reputação, seguras e fáceis de serem utilizadas.
2-Depois de abrir sua carteira de Bitcoin, conecte a sua conta de banco à sua carteira. Depois de abrir a sua carteira tecnológica, está na hora de comprar os seus primeiros BTC. Habitualmente, a fim de fazer isto, você vai precisar oferecer as informações de uma conta de banco verdadeira, assim como se estivesse realizando um depósito em sua conta de Paypal ou de algum serviço de pagamento virtual.
3- Compre BTC com dinheiro de sua conta. Na página da sua carteira virtual, existe um botão chamado “Buy Bitcoin (Comprar Bitcoin)”, somente clique nele e acompanhar as etapas para transferir dinheiro de sua conta para a sua carteira de Bitcoin
4- Compre na baixa, venda na alta. Basicamente, a tática com o intuito de se lucrar usando BTC não é bem diferente do que aquelas do mercado de ações. Apesar disso, comprar no momento em que a moeda está desvalorizada e vender no momento em que está em alta é uma tática perigosa. Infelizmente, pela razão do mercado ser tão inconstante, é extremamente complicado antecipar as oscilações do preço do BTC e qualquer investimento na moeda tem um risco associado, inevitavelmente alto.
É essencial estar informado quanto às vertentes do mercado. Segundo foi descrito anteriormente, é improvável prever as alterações dessa moeda. Ainda assim, a mais apropriada opção para lucrar com estas operações é acompanhar de perto o mercado. Como ele pode alternar apressadamente, algumas ótimas chances de lucro, como os disparos súbitos, podem aparecer e desaparecer em questão de dias. Portanto, esteja sempre alerta às modificações para encontrar ótimas oportunidades para investir.

Como funciona a cotação do Bitcoin

O Bitcoin possui valor oscilante, sendo estabelecido pelas ações dos próprios compradores e vendedores. Ou melhor, não há interferência de uma agência financeira específica ou governo de um país. Em razão disso é uma moeda altamente inconstante, que é capaz de flutuar ou cair em um piscar de olhos.
Com o objetivo de se ter uma noção da volatilidade da moeda, em outubro de 2013, o preço do BTC oscilava entre $ 120 e $ 125 dólares. Dentro de quarenta e cinco dias, o preço elevou para praticamente $ 1000 dólares. Doze meses depois, ele já havia sofrido uma desvalorização de praticamente sessenta e cinco por cento. Dito isto, é muito difícil de prever em que ocasião será o próximo pico (caso ele aconteça).
Sabendo da frequente oscilação do preço da moeda tecnológica, alguns sites como o http://dolarhoje.com/bitcoin-hoje/ e https://foxbit.com.br/grafico-bitcoin mostram o preço da moeda atualizado.

Saiba tudo sobre bateria de celular e smartphone

A bateria do seu celular é capaz de ficar viciada se permanecer conectada na tomada por bastante tempo? Fazer uma carga completa eleva o rendimento da bateria do celular? Na ocasião em que o celular esquenta é por que existe risco da bateria pegar fogo? Observe uma lista com as essenciais sugestões e as lendas com relação à bateria de celulares e iPhones Aprenda a manter a bateria do seu celular e descubra o que não se tem que fazer com ela.

Cargas totais aumentam a longevidade da bateria do celular


Essa é uma dica com embasamento, sem nenhum tabu. Caso você possa utilizar o Smartphone até a bateria acabar e efetuar uma carga completa posteriormente, o componente pode render mais. Sabemos que normalmente não é possível realizar isto, porém no que se refere aos Smartphones com tela touch, que consomem bastante carga, é prudente dar uma carga total ao menos uma vez a cada mês.
A bateria dura mais, porque ela pode ser feita de substâncias como Lítio-Polímero, Íon-Lítio, Níquel-Híbrido e Níquel-Cádmio. Mínimas cargas debilitam a capacidade do componente. Já as grandes cargas conservam o estágio de performance.

Guarde a bateria do celular desconectando se não tiver rede


bateria-celular Não se trata de uma lenda, contudo sim uma sugestão preciosa. No Brasil, é comum as operadoras não operarem adequadamente em alguns lugares da cidade. No momento em que o Smartphone perde o sinal, ele gasta uma quantidade maior de bateria tentando procurar a rede.
Na prática, o que o equipamento faz é aumentar o ganho de sinal internamente, buscando conseguir o mínimo de eficiência fundamental para restaurar esta conexão. Com o acréscimo do rendimento, eleva o consumo da bateria e a temperatura de dentro do dispositivo.
Uma forma de evitar esse gasto de energia desnecessária é, simplesmente, desativar o dispositivo. O mesmo processo vale se você deseja apenas acessar a internet e o 3G não está funcionando, ou não há sinal Wi-Fi acessível. Se o celular estiver encontrando uma conexão Wireless e não conseguir conectar, ele irá gastar mais bateria buscando sinais mais distantes.
Em se tratando de 3G, ele poderá até conservar-se conectado, contudo, caso o sinal esteja péssimo, a qualidade da conexão estará prejudicada. Não vale a pena o desperdício e o dano que isso tem chance de ocasionar à bateria. Deixar a conexão Bluetooth ligada inclusive é outro equívoco. Se não estiver utilizando, desligue-a.

Prudência com a temperatura da bateria do celular


Colocar a bateria do celular em áreas quentes é uma lenda e não é debatido apropriadamente. Usualmente, as pessoas consideram que o dispositivo pode explodir se inserido em uma temperatura mais alta.
Isto não é totalmente mentira, mas várias baterias de Lítio-Polímero foram criadas para não explodirem de forma nenhuma. Porém mesmo com esse elemento característico, fatalidades são capazes de surgir.
Outra dica válida na hipótese de esquentamento de celulares é que nem sempre a bateria esquenta na ocasião em que apenas exposta aos raios solares. Um lugar que desgasta o componente é o bojo da sua roupa. Como ele está em contato com seu corpo, a predisposição é que o lugar possua uma temperatura plausivelmente quente, razoável para acarretar agravos ao componente.

Evite usar as funções de câmera e vídeo dos Smartphones


Esta é outra dica, e não um tabu sem embasamento. Você é capaz de suspeitar desta verdade olhando as especificações de energia de cada um dos aparelhos. Um meio rápido de esquentar o dispositivo e a bateria, desgastando ambos, é ativar frequentemente a câmera de fotografia ou assistir diversos vídeos do YouTube. As imagens em movimento reduzem o desempenho da bateria para mais ou menos um terço.
Um desgaste de energia nesse estágio compromete a vida-útil de sua bateria. Por conseguinte, somente veja vídeos caso seja verdadeiramente necessário. Caso você fique, por exemplo, procurando acessar o YouTube com uma conexão fraca, apenas irá gastar bateria.
A culpa disto, claramente, é o excesso de consumo de energia interna: a tela irá precisar ter potência para substituir todos os pixels rapidamente; o processador para entregar os dados; o modem para receber o sinal; e o canal de áudio para entregar tudo com qualidade. Ou melhor: você estará utilizando quase todos os recursos do telefone concomitantemente.

Vale a pena substituir as baterias dos celulares?


bateria-celular Esse é um tabu que não é tanto discutido. Diversas pessoas vulgarizariam a resposta falando que “vale a pena” ou que “não vale de forma nenhuma”. O melhor nesses casos é dar uma olhada no quanto será gasto para efetuar a manutenção do Iphone. Aparelhos Android são mais fáceis de serem desmontados e seus elementos são capazes de ser comprados em separado. Aparelhos da Apple são mais penosos de serem desmontados e é sempre bom consultar uma revendedora com o objetivo de se inteirar melhor.
Se o aquecimento da bateria afetou outros componentes, como a placa-mãe do celular, talvez seja o caso de você trocar de celular. Nestes casos, não trata-se apenas de um problema de energia, contudo sim da inutilização do gadget. Mesmo assim, um baixo desempenho de bateria pode ser tranquilamente solucionado com a substituição dela, sem necessitar gastar mais obtendo um telefone novo.

Como escolher um carregador móvel de bateria de celular


Diariamente, as fabricantes fornecem baterias mais potentes em seus equipamentos. Determinados modelos conseguem continuar ligados ao longo de 22 horas em ligações ou sessenta e quatro horas reproduzindo músicas. Mesmo assim, o tempo de duração não é o suficiente para vários usuários, que ficam sem poder utilizar o dispositivo antes do dia terminar. A mais apropriada solução é utilizar um carregador móvel a fim de garantir que o Smartphone continue ligado sempre que não houver tomadas próximas.
Apesar de possuir um visual sem inúmeras diferenças, o carregador móvel de bateria de celular conta com especificações importantes que carecem de ser levadas em conta pelo usuário. O primeiro ponto a ser examinado é a procedência da bateria. Antes de adquirir a bateria, constate se a embalagem possui o selo de autorização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O documento garante ao usuário que o produto possui os padrões de segurança, como resistência à temperatura e proteção contra sobrecarga e curto-circuito.
Logo em seguida, verifique a capacidade de carga, mensurada em miliampère-hora (mAh). Esta informação vai dizer o quanto da bateria do celular deverá ser carregada com o equipamento. O mais indicado é comprar um carregador com, ao menos, a mesma capacidade do celular. Assim, o celular consegue voltar aos 100% mesmo se gastar uma carga inteira.
Se o carregador fornecer uma carga demasiadamente menor no que diz respeito à bateria do celular, não vai ter tanta funcionalidade. Apesar disto, uma capacidade elevada significa mais recargas para o Smartphone. Por exemplo, um carregador portátil para um celular de 2.500 mAh necessita possuir, pelo menos, 2.500 mAh para recarregar o dispositivo completamente. Se o equipamento tiver 5.000 mAh, vai conseguir completar duas recargas.

Verifique a potência das baterias dos celulares

Bem como a capacidade, a potência da bateria é mais um ponto relevante. O celular somente é carregado caso a corrente elétrica que sai da bateria seja semelhante ou superior à potência do smartphone. O valor é revelado em Watts (W) e pode ser calculado mediante a multiplicação dos valores em Volts (V) e ampères (A), que representam a potência de saída e entrada de energia, respectivamente. As informações costumam estar mostradas na bateria, no carregador ou no manual do celular. Quanto maior a potência de carga, mais ágil é a recarga do aparelho.
A cada recarga, as baterias sofrem um dano dos elementos químicos no seu interior. Desse jeito, os carregadores têm uma quantidade restrita até que a bateria se esgote 100%. A medida usada com o objetivo de estabelecer a vida utilizável de uma bateria é a quantidade de recargas, inclusive denominada de ciclos.

Recarregue a bateria do celular somente quando zerar a energia


Para evitar que o carregador manual tenha uma redução muito grande do potencial da bateria, o melhor é recarregar o dispositivo só quando sua energia achar-se totalmente esgotada. Deste modo, o acessório não gasta ciclos em vão. Não há uma maneira fácil de analisar a porção de energia que uma bateria ainda tem. Neste caso, o mais aconselhado é obter um carregador com um visor que expressa a carga restante.